Reino Unido protegerá população antes de doar vacinas ao exterior, diz secretário

Por Alistair Smout

OXFORD, Inglaterra (Reuters) – O secretário da Saúde do Reino Unido, Matt Hancock, disse nesta sexta-feira que vacinar as crianças britânicas contra Covid-19 terá precedência sobre a doação de doses de vacinas a outros países.

Também nesta sexta-feira, a agência reguladora de medicamentos britânica aprovou a vacina da Pfizer/BioNTech para jovens de 12 a 15 anos, mas entidades de saúde globais alertam que, se países ricos priorizarem membros de risco baixo de suas populações em detrimento da ampliação do acesso mundial, criam o risco de um desastre.

Indagado se priorizaria a vacinação de adolescentes em vez de pessoas mais vulneráveis de todo o mundo, Hancock respondeu: “Minha primeira tarefa como secretário da Saúde do Reino Unido é fazer com que o Reino Unido esteja protegido e seguro.”

“Embora, felizmente, as próprias crianças sejam afetadas gravemente pelo Covid muito raramente, ainda podem transmitir a doença, por isso esta é a minha primeira tarefa”, disse Hancock à Reuters após uma reunião de ministros da Saúde do G7 em Oxford, no centro da Inglaterra.

“Paralelamente a isto, estou trabalhando com meus colegas internacionais para fazer com que as pessoas possam ter acesso à vacina em todo o mundo.”

Embora o Reino Unido já tenha dado uma primeira dose de vacina contra Covid-19 a três quartos dos adultos e vacinado totalmente metade da população adulta, Hancock disse que o país ainda não está em posição de doar doses.

(Reportagem adicional de William James e Paul Sandle em Londres)

tagreuters.com2021binary_LYNXNPEH53124-BASEIMAGE