Criadores de conteúdo do sul do país fazem sucesso com mininovelas do Kwai

Um chefe manda interromper a reunião com investidores porque precisa da sua funcionária para algo urgente e inadiável. Ao chegar lá, ela o encontra todo atrapalhado e irritado com o grampeador e, depois de alguns segundos, descobre que a “urgência” era a falta dos grampos, que o impedia de voltar ao seu treino de como grampear um documento com perfeição. O enredo cômico faz parte das mininovelas do perfil “Meu Patrão”, no Kwai, app de criação e compartilhamento de vídeos curtos. As cenas de ambiente de trabalho com um chefe sem noção e cheio de ideias malucas são produzidas pelos criadores de Balneário Camboriú – SC, Juliana Martins e Mederi Corumbá, sócios na produtora Good Vibes – e criadores dos canais Galo Frito e 5 Alguma Coisa.

“Os roteiros, com humor não tão ácido como dos canais Galo Frito e 5 Alguma Coisa, foram pensados para atingir diferentes faixas etárias e gostos, e contam com histórias de confusões de família, amizade, namorados, sogra e trabalho”, explica Mederi, que além de atuar nos vídeos participa do roteiro final e é diretor do projeto e do elenco.

Além desse perfil, também são responsáveis pelo conteúdo de “Amiga Inimiga”, “Meu Casal”, “Coisa de Mãe” e “Pai Sofre”, que são interligados e criam um único universo da comédia e que já somam mais de 9 milhões de visualizações desde quando iniciaram o projeto em abril. O episódio “Minhas Cuecas”, que acontece no perfil “Pai Sofre”, ilustra bem essa conexão. Um pai, cujo nome é Luciano, resolve escrever seu nome em suas cuecas para que seu filho, Bruno, não as use. Mesmo assim, o garoto continua usando as peças íntimas do pai. Já no perfil “Meu Casal”, a história aparece no episódio “O Mistério da Cueca”, só que de outra maneira: em uma situação onde há traição, um namorado encontra a cueca com o nome “Luciano” e questiona sua parceria sobre a peça. Confusa, ela responde alto: “não era Bruno?”. 

“Tentamos sempre intercalar os perfis, assim o pessoal que assiste pode reconhecer os personagens e até mesmo o outro lado de uma história. Estamos fazendo um conteúdo bem direcionado, pois esse tipo de formato é muito mais atrativo para quem assiste vídeos pelo celular. Além disso, as pessoas estão com pouco tempo disponível para ficar vendo vídeos muito longos. Acreditamos que as mininovelas vão dar muito certo, principalmente por ter esse formato com cada episódio tendo seu começo, meio e fim”, comenta Juliana Martins, que atua nos vídeos e é roteirista de todos os perfis da produtora Good Vibes.

Mininovelas do Sul

Os dois são apenas alguns dos criadores de conteúdo do sul do país que fazem sucesso com as mininovelas e minisséries do Kwai pelo Brasil inteiro. Além da comédia, há perfis que buscam levar lições de vida para os usuários do TeleKwai (nome do programa de mininovelas exclusivo do Kwai), como é o caso do “Família em Série”, que reúne cenas de histórias emocionantes com mensagens positivas e motivacionais. O roteiro fica por conta do catarinense, ex-apresentador televisivo e criador de conteúdo Felipe Filipini, que atua junto de sua esposa Alexandra Filipini e da filha Brenda Filipini, de apenas 6 anos. Os vídeos, que somam mais de 47,5 milhões de visualizações, buscam sempre passar uma mensagem, e muitas vezes são baseados em histórias reais, do cotidiano do próprio criador. 

“Eu faço uma pesquisa de realidade, mas muitas vezes usamos o nosso dia a dia como inspiração para o roteiro, sempre pensando em um final que traga uma reflexão. Claro que algumas histórias não são baseadas em fatos reais, como a minissérie de vídeos que fizemos chamada “A mãe virou anjo”, que conta a história de uma mãe que acaba falecendo em um acidente e a filha tem um encontro espiritual com ela. Procuramos trabalhar com o sentimento, queremos envolver os telespectadores do Kwai nas histórias”, explica Filipini, que além de ser criador de conteúdo do seu próprio perfil, também é empresário e agencia outros criadores que estão em  Chapadinha, no Maranhão. “Fazemos todo trabalho de orientação para produção de vídeos para o TeleKwai, mas o roteiro, gravação, edição e divulgação ficam por conta dos criadores”, explica Felipe.

As criadoras de conteúdo da produtora YouMusic também decidiram seguir um caminho mais motivacional e espiritual em seus conteúdos para o TeleKwai, e juntas já somam mais de 5,5 milhões de visualizações. A curitibana Letícia Tavares, “Histórias com Propósito”, produz vídeos que no final sempre mostram como aplicar determinados princípios no dia a dia. “O TeleKwai entrega o que as pessoas gostam de ver, uma boa história! E essa, se bem contada, pode exercer uma influência poderosa. Por isso sempre procuro mostrar situações, que muitas pessoas estão passando ou já passaram, e  tiro uma lição disso”, explica Letícia. 

Já a escritora gaúcha Gabriela Costa, “Dacosta Films”, conta histórias que sempre levam mensagens motivacionais para seus seguidores na plataforma e muitas vezes conta com a ajuda dos pais para colocar isso em prática. “Eu sou apaixonada por contar histórias e geralmente converso com meus pais, que são pastores, para pensarmos juntos em como montar uma história diferente. Acho o Kwai uma plataforma maravilhosa para desenvolvermos empatia, uma vez que grande parte dos vídeos é composta de plots criativos sobre como o verdadeiro valor de cada pessoa está acima de sua condição financeira e/ou status social. Além de ser um entretenimento sadio e divertido”, finaliza Gabriela.

O londrinense Maik Gomes Ferreira, 26 anos, dono do perfil “O Caminho Positivo”, faz parte da produtora Renoir e também cria conteúdos que levam mensagens positivas, motivacionais e religiosas, por meio de pequenas histórias cotidianas. “Iniciei como criador de conteúdo há cerca de 3 anos, mas ao começar com as mininovelas e minisséries do TeleKwai, não imaginava que alcançaria um público grande assim. Estou bem feliz com os resultados. A experiência de criação dos vídeos está sendo muito positiva para o desenvolvimento artístico de todos os envolvidos’, comenta Maik, que tem mais de 18,8 milhões de visualizações em seu perfil.

Telekwai no Brasil

O TeleKwai é um novo modelo de produção de conteúdo exclusivo para o Kwai, que permite que os criadores de conteúdo do país se tornem estrelas de suas próprias histórias. O projeto busca estimular a criação de vídeos no formato vertical e em episódios breves, além de  empoderar a cadeia de produção amadora e semiprofissional da dramaturgia brasileira no segmento de minisséries e mininovelas. 

O projeto é realizado em parceria com agências, produtoras e criadores de conteúdo audiovisual, que são responsáveis pela pré-produção, produção e pós-produção dos vídeos, e trabalham em cada etapa de construção criativa. O Kwai atua como um consultor que dá total liberdade criativa para os parceiros. 

“Esse formato inovador foi adaptado às novas tendências de consumo de conteúdo pelo celular. Todas as produções são originais e desenvolvidas exclusivamente para a plataforma do Kwai e falam sobre conflitos do cotidiano, temas relevantes para a sociedade relacionados a questões sociais e relacionamentos. É um novo lugar de entretenimento, para consumir dramaturgia de forma leve, em formato curto e na vertical. Que busca democratizar o acesso a produções audiovisuais, independente da sua posição na cadeia de produção”, afirma Mariana Sensini, diretora geral do Kwai Brasil.

Além disso, para ajudar os criadores de conteúdo nesse processo, o Kwai desenvolveu uma funcionalidade inédita para plataformas de vídeos curtos, que permite a publicação de vídeos em uma sequência específica. Por enquanto a novidade está disponível apenas para as agências, produtoras e criadores de conteúdo envolvidos no programa do TeleKwai, mas a ideia é que isso chegue a todos os usuários que queiram produzir conteúdos sequenciais para a plataforma.