Curitiba terá mais 11 caixas do projeto de polinização Jardins de Mel

Quem passeia pelos parques ou praças da cidade já deve ter observado charmosas “casinhas” instaladas nestes locais. São as caixas do projeto Jardins de Mel, que abrigam as abelhas nativas sem ferrão, essenciais para o equilíbrio do meio ambiente, a polinização e biodiversidade urbana.

Nesta sexta-feira (6), Curitiba começou a ampliar os seus Jardins de Mel nas hortas urbanas e áreas de plantio em seis locais. As novas casinhas das espécies jataí, mirim e mandaçaia foram instaladas nas hortas Santa Cecília I (Tatuquara), Santa Rita I (Tatuquara) e nas escolas municipais Professora Sônia Maria Coimbra Kenski (Santa Felicidade), Papa João XXIII (Portão), CEI Expedicionário (Novo Mundo) e CMEI Professor Osni Camargo Carvalho (CIC).

Mais cinco hortas devem receber as caixas na próxima sexta-feira. São elas: CEI Augusto César Sandino (Santa Cândida), CMEI Lúcia Zanier Demeterco (Campo de Santana), CMEI Edmundo Lemanski (Xaxim) e as escolas municipais Bairro Novo do CAIC Guilherme Lacerda Braga Sobrinho (Sítio Cercado) e Senador Enéas Faria (Cajuru).

Com as 11 novas caixas, serão 31 nas áreas de plantio e aproximadamente 100 caixas em toda capital.

O diretor do CEI Expedicionário, Adriano Borecki, comemorou a instalação da casinha no local.

“Para nós é uma honra receber essa colmeia. Nossos professores já explicaram para as crianças sobre a importância das abelhas que elas vão ajudar a cuidar”, disse Borecki.

A ampliação do projeto Jardins de Mel é uma parceria das secretarias municipais de Segurança Alimentar e Nutricional, do Meio Ambiente e da Educação. Desde 2017, as colmeias vem sendo espalhadas por vários pontos de Curitiba, como hortas, parques, praças, Zoológico, Fazenda Urbana e Mercado Municipal.

O diretor do Departamento de Estratégias de Segurança Alimentar e Nutricional e idealizador do projeto Jardins de Mel, Felipe Thiago de Jesus, conta que o trabalho de polinização das abelhas nativas nestas hortas auxilia para aumentar a produção e qualidade dos alimentos cultivados pelos agricultores urbanos. “As abelhas são as responsáveis pelos alimentos que nascem nestas hortas, já que a polinização é essencial para a produção de alimentos de forma sustentável”, diz Felipe.

Informações da Prefeitura de Curitiba