Dois terços das crianças ucranianas foram deslocadas pela guerra

Duas em cada três crianças ucranianas foram deslocadas pelo atual conflito no país, relevou o Fundo das Nações Unidas para a Infância (Unicef), nesta semana. De acordo com a agência, a guerra representa uma ameaça imediata à vida dos 7,5 milhões de crianças e adolescentes do país, que também estão vulneráveis a sofrer violações durante o deslocamento.

Parte dos 4,5 milhões de pessoas que já saíram da Ucrânia, crianças, junto com adolescentes e mulheres, representam 90% dos refugiados. As que permaneceram também correm riscos incalculáveis, alertou o Diretor de Operações de Emergência do UNICEF, Manuel Fontaine, no briefing do Conselho de Segurança sobre a situação humanitária na Ucrânia

“Das 3,2 milhões de crianças estimadas que permaneceram em suas casas, quase metade pode estar em risco de não ter comida suficiente. Ataques à infraestrutura do sistema de água e falta de energia deixaram cerca de 1,4 milhão de pessoas sem acesso à água na Ucrânia. Outros 4,6 milhões milhões de pessoas têm acesso limitado.”, relatou Fontaine, que também alertou para a situação critica de muitos ucranianos, moradores das regiões bombardeadas. 

“A situação é ainda pior em cidades como Mariupol e Kherson, onde as crianças e suas famílias passaram semanas sem água encanada e serviços de saneamento, abastecimento regular de alimentos e assistência médica. Elas estão abrigadas em suas casas e no subsolo, esperando que as bombas e a violência parem.”

O número de crianças mortas no conflito é de 142, outras 229 foram feridas, segundo o Alto Comissariado das Nações Unidas para os Direitos Humanos (ACNUDH). No entanto, Fontaine estima que esses números devem ser muito maiores. “O ACNUDH verificou 142 crianças mortas e 229 crianças feridas. Sabemos que esses números são provavelmente muito maiores – e muitos deles foram causados por fogo cruzado ou pelo uso de armas explosivas em áreas povoadas”.

Informações de SBT News