Curitiba bate recorde com geração de 38,9 mil novas vagas com carteira assinada até setembro

Curitiba segue em ritmo de retomada no mercado de trabalho e bateu mais um recorde com a criação de 38.979 vagas com carteira assinada de janeiro a setembro. Os dados são do Cadastro Geral de Empregados e Desempregados (Caged), divulgados pelo Ministério do Trabalho e Previdência, nesta terça-feira (26).

Curitiba foi a quinta cidade do País com maior saldo no período, atrás de São Paulo (322.027); Belo Horizonte (55.886); Rio de Janeiro (52.390) e Brasília (47.472). O número consolida o movimento de recuperação, após o impacto da pandemia de covid-19 encolher o mercado de trabalho em todo país.

O resultado foi puxado principalmente pelos setores de Serviços, com 22.307 novas vagas, Comércio, 5.798, Construção Civil, 5.734, e Indústria, 5.084.

O saldo do emprego formal divulgado pelo Caged é medido pela diferença entre admitidos e demitidos. Nos nove meses do ano, foram 325.880 contratações e 286.901 demissões. No mesmo período do ano passado, por conta da pandemia, o saldo havia sido negativo em 14.345 vagas.

“Os números comprovam que a nossa economia voltou a acelerar e o mercado de trabalho, que foi tão prejudicado pela pandemia, começou a gerar novas vagas. Ainda temos desafios, mas vamos em frente com a esperança de dias melhores”, diz o prefeito Rafael Greca.

Com o resultado, Curitiba também liderou a geração de empregos no Paraná no período, responsável por 23% das vagas criadas no Estado, que totalizaram 168.597 no período. Somente no mês de setembro foram 2.911 vagas geradas em Curitiba.

Apoio do município

A Prefeitura de Curitiba mantém programas e ações para dar sustentação à retomada da atividade econômica tanto para trabalhadores quanto para empreendedores.

Os Liceus de Ofício, da Fundação de Ação Social (FAS), promovem cursos e preparam para o mercado de trabalho quem está em busca de qualificação. Além disso, os Espaços do Empreendedor da Agência Curitiba dão suporte a microempresários e microempreendedores individuais. E o Programa 1ºEmpregotech 2021, lançado no ano passado, oferece qualificação na área de tecnologia com aulas e oficinas.

O Fab Lab Cajuru, laboratório de fabricação por prototipagem, por sua vez, gera novas oportunidades para estudantes, empresas e comunidade, que podem compartilhar conhecimentos e colocar em prática ideias inovadoras.

A Prefeitura também vem adotando medidas para reduzir o impacto da pandemia sobre a economia. Entre elas, a criação de um fundo de aval, de R$ 10 milhões, com potencial para alavancar até R$ 100 milhões em investimentos por parte das empresas curitibanas.

Para reduzir a burocracia na abertura de negócios, o número de atividades incluídas na lei de liberdade econômica foi ampliado. A lei prevê a dispensa de alguns alvarás para atividades de baixo risco, facilitando o processo. No ano passado, o número de atividades abrangidas pela lei passou de 242 para 545 na capital.

O município também prorrogou o prazo de pagamento de impostos e promoveu um programa de refinanciamento, o Refic-Covid-19, que permitiu o parcelamento de débitos em até 36 meses. A Prefeitura também vem dando apoio ao setor de eventos, com a utilização de R$ 2,7 milhões para projetos desse segmento e moratória de dívidas, até o fim do ano.

Informações da Prefeitura de Curitiba