Em 2020, Paraná foi o estado que mais gerou empregos nos pequenos negócios

Segundo estudo do Sebrae Nacional, a partir de dados do Cadastro Geral de Empregos e Desempregados (Caged), o Paraná foi o estado brasileiro que mais gerou empregos na modalidade de pequenos negócios, em 2020. O saldo foi de 38.272 novas vagas, o que representa 72,6% do total de 52.670 empregos gerados no ano passado.

A diferença com Minas Gerais, segundo colocado, foi de quase 3 mil vagas a mais. Na comparação com Santa Catarina (27.122) , foram mais de 10 mil vagas de diferença. O resultado positivo veio mesmo com a diminuição no número de vagas no mês de dezembro, que totalizou saldo negativo de 3.437 postos de trabalho.

Segundo o Sebrae, os 52.670 empregos gerados em 2020 no Paraná estão divididos em: 38.727 vagas criadas a partir das micro e pequenas empresas (MPE), com até 99 funcionários; 14.414 pelas médias e grandes empresas (MGE), com mais de 100 empregados. A administração pública teve saldo negativo de 113.

De acordo com o Sebrae, a geração de empregos nos pequenos negócios sofreu uma queda com a pandemia do coronavírus, mas começou a se recuperar especialmente com a retomada da economia no segundo semestre. Até setembro, o saldo em 2020 no estado era negativo, mas, com os bons números de outubro e novembro, as MPE se recuperaram e puxaram o saldo positivo.

“A geração de vagas em MPE correspondeu a 72,6% do total de empregos no Paraná, em 2020. É a prova da capacidade dos empreendedores de micro e pequenas empresas que, mesmo diante da crise, buscaram formas de adaptar, criar e inovar para enfrentar o cenário da pandemia”, destacou Vitor Roberto Tioqueta, diretor-superintendente do Sebrae/PR.

Empregos no Paraná

O Paraná abriu 52.670 vagas de emprego em 2020. O saldo de empregos do ano passado foi superior a 2019, que fechou em 51.441 vagas abertas. Foi o melhor indicador nos últimos sete anos.

Os meses com registros de alta foram janeiro (18.111), fevereiro (28.729), junho (1.959), julho (14.212), agosto (16.557), setembro (19.909), outubro (32.564) e novembro (28.940).

Os setores que mais se destacaram no acumulado do ano de 2020 foram indústria de transformação (25.880), seguido de construção civil (14.855), comércio (7.967), agricultura (1.657) e serviços (629). Apenas um setor apresentou resultado negativo no acumulado do ano: serviços industriais de utilidade pública (-79).

Colaboração AEN