Paraná é líder na produção de tilápias

Nesta segunda-feira (22), o levantamento divulgado pela Associação Brasileira de Piscicultura, dentro do anuário Peixe BR 2021, mostrou que o Paraná manteve a liderança nacional na produção de tilápias. Em 2020, o volume foi de 166 mil toneladas, um aumento de 14% em relação a 2019, quando foram comercializadas 146.212 toneladas. O resultado é cerca de 135% superior ao obtido por São Paulo, vice-líder com 74.600 toneladas.

O desempenho do Estado foi justificado pelo modelo cooperativista de integração. Cooperativas, como Copacol e C.Vale, ambas instaladas na Região Oeste, fizeram com que a piscicultura paranaense crescesse em um ritmo maior do que o restante do Brasil.

A Copacol abate 160 mil tilápias por dia, nos frigoríficos de Nova Aurora e Toledo, vindas de 230 produtores integrados. A C.Vale, de Palotina, abate outras 100 mil tilápias por dia.

O governador Carlos Massa Ratinho Junior destacou que o Estado tem vocação para o cultivo de peixes, particularmente a tilápia, que tem sido incentivada continuamente pela Governo do Estado. “Entre os fatores que contribuem estão o rigoroso controle de sanidade dos pescados e uma assistência técnica qualificada”, disse.

Nacional

De acordo com a associação, seis em cada dez peixes cultivados no Brasil são tilápias, o que faz do país o quarto maior produtor do mundo. A produção da espécie mais importante da piscicultura brasileira atingiu 486.155 toneladas, em 2020 (60,6% do total da piscicultura). O crescimento é de 12,5% em relação a 2019 (432.149 toneladas).

Exportação

No ano passado, de acordo com os dados do anuário, a tilápia manteve a liderança no ranking de exportação de pescados. Com 6.680 toneladas, respondeu por 88,17% das vendas externas, com receita de US$ 10,3 milhões (cerca de R$ 55,6 milhões). O crescimento em relação a 2019 foi de 5%.

Entre as categorias de produtos da piscicultura exportadas em 2020, os filés frescos e refrigerados consolidam-se como principal item, abrangendo por 45,13% do total, seguido dos óleos e gorduras (18,13%) e peixes inteiros congelados (15,01%).

Os principais compradores da tilápia brasileira são Estados Unidos (58%), Chile (13%), China (8%) e Japão (5%).

Confira o anuário Peixe BR 2021.

Colaboração AEN