Edital da nova estação da Linha Direta Inter 2 é republicado

Uma parada de ônibus autossustentável, conectada e inteligente, que proporcione uma melhor experiência de transporte e intermodalidade completa ao usuário da Linha Direta Inter 2. Esse é o desafio construtivo de inovação que a Prefeitura de Curitiba volta a colocar ao mercado nacional com o edital da Estação Protótipo Agrárias, republicado nesta quinta-feira (1º).

O novo modelo arquitetônico, batizado de Prisma Solar, será a porta de entrada para a mudança da matriz energética do transporte coletivo de Curitiba, com adoção de veículos elétricos. O protótipo será instalado onde hoje é o tubo da Estação Agrárias, na Rua dos Funcionários, no Cabral, em frente ao campus da Universidade Federal do Paraná (UFPR).

O edital inclui a elaboração do projeto executivo, execução da obra e a operação assistida por quatro meses para validação das tecnologias e soluções de mobilidade urbana do novo equipamento, além dos projetos executivos das demais 11 estações, após a aprovação do modelo.

O projeto está inserido no Programa de Mobilidade Urbana Sustentável, que tem parte do financiamento contratado junto ao Banco Interamericano de Desenvolvimento (BID).

Para a ampliação e melhoria da Linha Direta Inter 2, serão investidos US$ 106,7 milhões até 2025, mais US$ 26,7 milhões em contrapartidas municipais. O programa inclui estruturação viária no itinerário de 38 km da linha, com novas estações de parada e infraestrutura cicloviária, iluminação pública e paisagismo.

O Inter 2 é uma das principais linhas de carregamento de transporte coletivo de Curitiba, com média de 181 mil passageiros por dia útil e que conecta os seis eixos de transporte da cidade.

Entre os requisitos previstos no edital da Estação Protótipo Agrárias estão soluções inteligentes de transporte, energia e outras tecnologias de ponta que promovam a integração com outros modais – carona solidária, bicicleta compartilhada – no esforço para reduzir o número de carros na cidade.

Os novos conceitos de arquitetura, acessibilidade, sustentabilidade ambiental e econômica devem absorver um crescimento estimado de 30% de usuários na linha, com conforto, segurança e sistemas de fácil manutenção dos equipamentos, incluindo custos reduzidos que impactam no cálculo da planilha tarifária. 

Prazos

Sem proponentes na primeira publicação do edital, realizada em abril deste ano, técnicos da Utag e do Ippuc retomaram as avaliações de requisitos e exigências do projeto. Os quantitativos estimados, elaborados a partir do estudo inicial da estação, foram corrigidos para R$ 5,8 milhões, valor de referência para a entrega do pacote completo: projetos executivos de 12 estações, execução da obra do protótipo – estação e entorno – e a operação assistida.

“Entendemos esse valor como ponto de partida para o mercado avaliar o projeto e trazer propostas para o que estamos considerando um marco na inovação do transporte de Curitiba. A avaliação será feita por técnica e preço”, explica o diretor técnico da Utag, Marcio Teixeira.  

O prazo para apresentação das propostas se encerra no dia 5 de outubro, às 9h. As empresas devem entregar os envelopes de oferta e demais documentos no Serviço de Protocolo do Ippuc, na Rua Bom Jesus, 669, no bairro Juvevê, em Curitiba. Os envelopes de oferta serão abertos em sessão pública às 9h30 do mesmo dia 5 de outubro, no Auditório do Ippuc, no mesmo endereço.

O edital, bem como os documentos complementares, encontram-se disponíveis para “download” no site utag.ippuc.org.br, no menu “transparência” no ícone BID; no site www.transparenciacuritiba.pr.gov.br, no ícone “Licitações”; ou junto à Utag, no endereço acima mencionado e também pelo telefone 41 3250 1436 ou pelo email [email protected].

Soluções inteligentes

Uma das principais exigências do edital é a matriz energética do equipamento. A energia solar da estação será captada por meio de painéis fotovoltaicos, garantindo eficiência para manter toda a operação, da climatização interna ao sistema de monitoramento e de comunicação do usuário. Confira os principais itens inovadores requeridos o edital

Operação

– Tecnologias para impedir/reduzir a evasão no pagamento de tarifas.

– Tecnologias para ganho de tempo na operação de embarque e desembarque de passageiros.

– Uso de tecnologias da informação e comunicação para gestão e controle da operação, com soluções inteligentes que permitam o monitoramento digital do equipamento, como sistema de telemetria, contagem de passageiros, dimensionamento de frotas e de tempo de percurso para evitar formação de comboio, controle de portas, temperatura, iluminação, conectividade, arrecadação tarifaria e abastecimento energético, entre outras operacionalidades.

Experiência do usuário

– Sistema Automatizado de Arrecadação Tarifária (SAAT) para cobrança de passes sem uso de dinheiro em espécie.

– Sistema de internet Wi-Fi para usuários em 99% do tempo de uso da estação.

– Sistemas de receitas acessórias na estação para o sistema público, estimulando o uso de cabines de vendas de alimentos, publicidades, mídia embarcada e outras ações que promovam a geração de receitas para a operadora do sistema.

– Sistema de segurança e alertas, especialmente, em horários de menor movimento. 

 Infraestrutura

– Monitoramento e controle de catracas de entrada, uma vez que a estação não terá o controle do cobrador.

– Validador eletrônico com venda de créditos por celular, compra e recarga dos cartões transporte, uso de cartões cipurse, compatibilidade com os atuais sistemas do município.

– Painel de Mensagem Variável para promover informação útil ao usuário. 

– Climatização com temperatura média de 22ºC, variação entre 18 e 26, com distância limite de 4 passageiros por m².

– Soluções sustentáveis extras, considerando a estação e seu entorno. Deve-se dar preferência a medidas relacionadas a água, energia e a resíduos sólidos.

Informações da Prefeitura de Curitiba