Pandemia pode aumentar evasão de alunos em todas as modalidades de ensino

A pandemia do coronavírus vai aumentar as altas taxas de evasão de alunos no Ensino Regular da educação, alcançando inclusive os jovens e adultos que estão matriculados na Educação de Jovens e Adultos (EJA). Essa é a análise da coordenadora da Educação de Jovens e Adultos da Escola Superior de Educação do Centro Universitário Internacional Uninter, professora Maria Tereza Xavier Cordeiro.

“O vácuo gerado pela pandemia na Educação produzirá altas taxas de evasão dos estudantes no ensino regular que, futuramente retornarão como alunos da EJA”, afirmou Maria Tereza.

Ainda não há dados atualizados que relacionem a pandemia e taxas de evasão, mas o Censo Escolar de 2020 já apontava uma queda de matrículas de 8,3% na educação de jovens e adultos em relação a 2019. Isso equivale a 270 mil estudantes a menos nas salas de aula. A redução ocorreu tanto na EJA de nível fundamental (-9,7% com a redução de 187,4 mil matrículas) quanto na de nível médio (-6,2% com a redução de 83,5 mil matrículas).

Maria Tereza também fez um prognóstico pessimista em relação ao processo de alfabetização de jovens e adultos. “Sem possibilidade de continuidade dos programas de alfabetização presenciais, o número de pessoas não-alfabetizadas aumentará assim como o de pessoas com baixíssima noção de leitura e escrita”, pontua.

O Brasil tem 11 milhões de analfabetos, segundo dados da Pesquisa Nacional por Amostra de Domicílio (Pnad) Contínua Educação 2019, divulgada pelo Instituto Brasileiro de Geografia e Estatística (IBGE).