Entidade faz em Curitiba teste de superinteligência

A Associação Mensa Brasil, entidade que reúne pessoas e profissionais de altas capacidades intelectuais no País, vai intensificar as atividades para identificar pessoas com altas habilidades/superdotadas, popularmente chamadas de “superinteligentes”.

A entidade promove no dia 28/5, às 10h, uma rodada de testes de admissão com avaliação de QI (quociente de inteligência) em 15 cidades brasileiras: Araraquara – SP, Belém – PA, Belo Horizonte – MG, Brasília – DF, Campinas – SP, Cuiabá – MT, Curitiba – PR, Fortaleza – CE, Natal – RN, Porto Alegre – RS, Ribeirão Preto – SP, Rio de Janeiro – RJ, Salvador – BA, São Paulo – SP e São José dos Campos – SP.

As avaliações são destinadas a pessoas com 17 anos ou mais e que cursem ou que tenham formação no ensino superior. O local do teste é informado de maneira individual e privada aos inscritos. Os testes são feitos de forma presencial, conforme diretrizes do Conselho Federal de Psicologia (CFP), e seguem todos os protocolos de segurança sanitária.

A associação é afiliada brasileira oficial da Mensa Internacional,
principal organização de alto quociente de inteligência (QI) do
mundo. A entidade está presente em cerca de 100 países e conta com,
aproximadamente, 145 mil membros.

Descoberta de 19 superinteligentes no Brasil

Em março deste ano, a entidade identificou 19 brasileiros
superinteligentes, indivíduos com QI muito acima da média, os quais
foram convidados a integrar a Associação Mensa Brasil a partir deste
ano.

A descoberta dos superinteligentes aconteceu durante a rodada de testes de admissão da Mensa em março, em dez cidades brasileiras nos estados do Rio de Janeiro, Paraná, São Paulo, Bahia, Rio Grande do Sul, Minas Gerais, Pará e Distrito Federal.

Segundo Rodrigo Sauaia, presidente da Associação Mensa Brasil, o tema altas habilidades/superdotação é de suma importância para o País. “A inteligência é ferramenta cada vez mais estratégica para o desenvolvimento e a evolução da sociedade, em todos os campos da vida humana. Por isso, precisamos identificá-la e fomentá-la no Brasil. Com isso, poderemos usar essas capacidades em benefício dos indivíduos e da humanidade”, explica Sauaia.

“Trazer esse tema para a agenda nacional é fundamental para pessoas com alta inteligência, ao proporcionar ambientes que ajudem no desenvolvimento de suas habilidades e potenciais, muitas vezes desconhecidos pelas próprias pessoas, por seus familiares, seus professores e seus colegas de trabalho”, observa Sauaia.

Potência intelectual adormecida

Na avaliação de Sauaia, o Brasil é uma potência intelectual ainda
adormecida e subaproveitada. “Temos uma das maiores populações do
planeta. Cerca de 2% dos habitantes do País podem apresentar sinais de
altas habilidades, com um QI muito acima da média. Porém, ainda não
há um mapeamento abrangente destes indivíduos. Também faltam
programas e políticas públicas adequadas para apoiá-los a se
desenvolver e contribuir com o avanço da nossa sociedade”, alerta
Sauaia.

“Por isso, nossa entidade está comprometida em aumentar o
conhecimento da população sobre o tema, ampliar a identificação de
pessoas com alto QI e criar um ambiente positivo para que possam
interagir e se desenvolver”, reforça Sauaia.

Um dos principais mitos sobre pessoas superinteligentes é de que se
trata de um grupo homogêneo, com personalidades e históricos
parecidos. Em realidade, o alto QI está presente em diferentes etnias,
gêneros, classes sociais, níveis de escolaridade, situações
econômicas e em personalidades com as mais variadas visões de mundo.

“Isso faz da nossa entidade um ambiente muito diverso, dinâmico e
inclusivo”, comenta Sauaia. A Associação Mensa Brasil tem levantado
dados e informações, para ajudar a traçar um perfil dos
superinteligentes no Brasil.

Em média, a população brasileira apresenta QI de 100 pontos, com
variação de 15 pontos para mais ou para menos, ou seja, numa faixa
entre 85 e 115 pontos. Pessoas com altas habilidades e superdotação
apresentam QI muito acima dessa média. Os valores podem variar para
cada país e também de acordo com os diferentes tipos de testes
existentes.

Como saber se você é “superinteligente” e participar da Mensa
Brasil?

“Para se tornar membro da Associação Mensa Brasil, o candidato
precisa estar no percentil 98 ou superior, ou seja, nos 2% maiores
resultados de QI da população. Como a pontuação do teste varia de
acordo com a metodologia utilizada, não há um único número mínimo
de QI para se tornar membro, isso varia conforme a situação. Para o
exemplo acima, em que a média brasileira é de 100 pontos, seria
necessário obter 131 pontos ou mais no mesmo teste para atingir o
requisito de admissão da Mensa Brasil”, explica Sauaia.

“Para os adultos, descobrir se você possui alto QI pode contribuir
para ampliar sua rede de contatos e se envolver mais ativamente em
iniciativas em prol das altas habilidades e da superdotação. Já para
as crianças e jovens, essa descoberta pode fazer uma enorme diferença
em todos os aspectos da vida, principalmente durante a formação
socioeducacional, com reflexos profundos na vida pessoal e
profissional”, esclarece Sauaia.