Equipe da UFPR acolhe e trata gatos dos campi e alerta para comunidade não manusear armadilhas

A Comissão de Animais nos Campi da Universidade Federal do Paraná (UFPR) tem atuado na captura e no tratamento de gatos abandonados encontrados nos campi da instituição. Por meio de uma armadilha específica para essa finalidade, chamada gatoeira, a equipe consegue apanhar os animais, que são avaliados por veterinários e encaminhados para o tratamento, conforme necessidade, ou para adoção.

As gatoeiras são equipamentos utilizados para capturar gatos errantes de forma segura e ética, possibilitando o transporte correto ao local em que receberão os procedimentos necessários, como castração, internamento, adoção ou lar temporário. “Por serem animais amedrontados nem sempre eles permitem a aproximação de pessoas e a armadilha é uma boa maneira de capturamos eles”, revela Jéssica Santos da Silva, médica veterinária da Comissão.

No momento, há armadilhas espalhadas no Centro Politécnico e no campus Jardim Botânico. Porém, conforme a disponibilidade e a necessidade, os equipamentos podem ser colocados em outras dependências da instituição.

Os gatos tendem a entrar nas gatoeiras apenas quando não há pessoas por perto, por isso, ao avistar um animal capturado por uma dessas armadilhas, membros da comunidade universitária podem tirar fotos e enviá-las, informando o local, para o WhatsApp do projeto Adote UFPR neste número: (41) 98508-0011.

A Comissão alerta que os animais capturados não podem ser soltos pela comunidade, pois podem estar doentes e precisando de tratamento. É importante que somente equipe autorizada manuseie as gatoeiras, já que a manipulação inadequada dos equipamentos pode ocasionar ferimentos indesejados nas pessoas ou nos animais.

“É comum que os gatos se assustem ao serem capturados, por isso tentam escapar, mas geralmente se acalmam após um tempo. Nós dispomos dos equipamentos necessários para realizar os procedimentos em segurança”, explica Jéssica.

Projeto similar é realizado há mais de um ano em penitenciárias da região de Curitiba. A iniciativa integra os esforços da UFPR em prol da saúde única, conceito que trata da integração entre saúde animal, humana e ambiental na adoção de políticas públicas efetivas para prevenção e controle de enfermidades.

Formas de ajudar

A Comissão precisa de doações de sachês para gatos e de tapetes higiênicos para o tratamento de dois animais que está sendo realizado pela Pontifícia Universidade Católica do Paraná. Os itens podem ser entregues diretamente para a equipe veterinária da PUC-PR e doações em dinheiro podem ser realizadas para a clínica veterinária Vetsan. Outra forma de ajudar é adotando ou oferecendo lar temporário.

A equipe reforça que o abandono de animais é crime (Lei Federal n°9.605/1998), caracterizado também como crime ambiental e maus tratos, além de ser passível de multa (Lei Municipal 13.908/2011).

Siga o perfil Adote UFPR e, para dúvidas e informações, entre em contato pelo WhatsApp: (41) 98508-0011.

Informações da UFPR.