Especialista em marketing de influência fala sobre posicionamento de marcas durante as eleições

Com a proximidade das eleições no Brasil, a troca de ideias, a defesa dos candidatos e partidos devem seguir o ânimo acalorado de 2018. As redes sociais, os artistas e influenciadores digitais são vozes potentes durante este período, já que influenciam diretamente na opinião do público que os acompanha. Um questionamento sobre o posicionamento das marcas, neste cenário, também se faz necessário.

A especialista em marketing de influência Mari Cavalcante explica que é preciso pensar primeiro no que faz uma marca ser admirada pelo seu público. “Atualmente, as pessoas consideram atributos específicos ao fazerem suas compras. Essas vão além das características do produto ou serviço, é preciso estabelecer uma relação cada vez mais próxima. Isso acontece apenas quando as empresas compartilham valores e demonstram através do posicionamento com o público que desejam atingir. É somente de acordo com o perfil com que a sua marca se relaciona que é possível saber se assertivo ou não compartilhar uma opinião e posicionamento, a forma de expor essa opinião também deve ser feita com cuidado”, enfatiza.

Essa cautela pode evitar muitos problemas de exposição indesejada nas redes sociais e também na mídia. É preciso relacionar a imagem da empresa e marca apenas com os valores que quer ser vinculada. “A esfera política deste ano tende a ser polarizada como na eleição anterior, e o posicionamento é válido para moldar a forma com que a marca quer ser vista e como irá conduzir através de ações, campanhas, sua identidade e também como é vista pelas pessoas”, finaliza.