Gol fecha acordos para trazer “carro voador” ao Brasil

Companhia de aviação baseada no Brasil, a Gol Linhas Aéreas tem desenvolvido ações para trazer ao país voos tripulados da aeronave elétrica eVTOL, mais conhecida como “carro voador”. O objetivo inicial da empresa é que esse tipo de viagem ocorra em território nacional em menos de uma década.

Para tirar o projeto do papel — e do chão — a Gol tem firmado acordos com corporações nacionais e internacionais. Até o momento, quatro parcerias já foram fechadas com o objetivo de fazer com que o Brasil conte com carros voadores: Avolon (de aluguel de aeronaves), Corporación América Airports (operadora de aeroportos privados), Grupo Comporte (operadora de transporte) e Vertical Aerospace (empresa de tecnologia que produz aeronaves eVTOL).

“Temos em mãos uma oportunidade única de unir os esforços de todas as partes envolvidas para criar um ecossistema operacional sustentável e seguro para eVTOL, com emissão de zero carbono, tanto no Brasil quanto fora dele”, afirma o conselheiro de administração da Gol Linhas Aéreas, Paulo Kakinoff, conforme destaca a Avolon, uma das companhias presentes no projeto, em comunicado divulgado nesta semana.

“Incluir novas e providenciais alternativas de conectividade com este novo modal aéreo.”

Kakinoff, que recentemente deixou a presidência da Gol para integrar o seu conselho de administração, acredita que o novo projeto representa a busca da empresa em se modernizar e apresentar novas soluções ao mercado de aviação. “Em constante expansão no segmento regional, a Gol está comprometida em incluir novas e providenciais alternativas de conectividade com este novo modal aéreo, baseado em sua já extensa rede aérea.”

Carro voador no Brasil: primeiras viagens

De acordo com o comunicado da Avolon, os primeiros carros voadores no Brasil terão como foco “viagens de curta distância” em regiões metropolitanas. “Mudando a forma como nos conectamos, nos deslocamos e viajamos com mais eficiência, tudo de uma maneira mais sustentável”, comenta a empresa estrangeira que, ao lado da Gol e outros parceiros, promete trabalhar para que esse serviço seja de “baixo custo” para o consumidor — e viajante — brasileiro.

Com informações do portal SBT News.