Golpe: concessionária vende carro para clientes e fecha loja na RMC

Uma concessionária aplicou um golpe em pelo menos 25 pessoas em São José dos Pinhais, região metropolitana de Curitiba. Os proprietários ofereceram a venda do veículo para os clientes levarem o carro até o estabelecimento. Após a entrega, eles venderam os automóveis, ficaram com o dinheiro e fugiram.

Os clientes, ao perceberem o golpe, foram até a delegacia de São José dos Pinhais para denunciar o caso. O advogado Carlos Alberto Riskalla Filho deixou um carro para a revenda no valor de R$ 50 mil.

“A gente deixou o veículo e quando marcaram para gente vir buscar o dinheiro a loja estava fechada, trocaram de nome, nenhum carro no pátio”,

disse o advogado.

O analista de logística Emerson Carvalho também entregou o carro, na expectativa de ter o retorno de R$ 20 mil.

“Fizeram a avaliação, falaram que o preço que queríamos no carro era justo e que já tinham um comprador para o nosso veículo. Firmamos o contrato, falaram que em 15 dias eles fariam o pagamento. Deu o prazo, já não consegui mais contato”,

conta.

Os veículos foram retirados no último sábado (13) pela manhã e na segunda-feira (15) de madrugada. Segundo a polícia, 10 pessoas procuraram a delegacia, mas acredita-se que mais clientes tenham sido vítimas do golpe.

“Paguei o valor a vista na loja e me pediram 15 dias para efetuar a transferência pro meu nome e eu confiei na loja. Passou um mês e eu fui descobrir que o carro estava alienado no nome do dono da loja”,

conta o advogado Cícero de Oliveira.

Ele contou que teria comprado o automóvel na revendedora no valor de R$ 97 mil e que estava aguardando a regularização do veículo.

O delegado Fábio Machado, da Polícia Civil, assumiu as investigações do caso e contou que as vítimas eram recrutadas na internet com propostas tentadoras.

Os responsáveis pela loja estão sendo procurados pela polícia. O delegado afirmou, ainda, que o prejuízo pode chegar a R$ 1 milhão.

“O estabelecimento comercial fechou, os proprietários fugiram e apenas alguns foram identificados e trazidos até a delegacia. Eles serão ouvidos e indiciados pelo crime de estelionato, falsidade documental e associação criminosa”,

explica.