Guerra na Ucrânia ameaça empurrar 1,7 bilhão de pessoas para pobreza

O conflito entre a Rússia e a Ucrânia pode empurrar 1,7 bilhão de pessoas para a pobreza, o que deve aumentar a crise alimentar global. Segundo análise da Organização das Nações Unidas (ONU), a alta da inflação, interrupção de importações e exportações de alimentos essenciais, bem como de energia, estão fazendo com que diversos países, incluindo os de baixa renda, sofram com desabastecimentos.

“A guerra está sobrecarregando uma crise tridimensional – comida, energia e finanças – que está atingindo pessoas, países e economias mais vulneráveis do mundo. tudo isso vem em um momento em que as nações em desenvolvimento já estão lutando com uma lista de desafios deixados pela pandemia de covid-19, além das mudanças climáticas”, disse António Guterres, secretário-geral da entidade.

Ele informou que quase 40 países contam com a Rússia e a Ucrânia para mais da metade das importações de trigo. Com o conflito, que dura mais de um mês, os preços dos grãos dispararam, registrando alta de 30% desde o início do ano. Ao mesmo tempo, Moscou é um dos maiores fornecedores de fertilizantes, o que fez com que os valores pagos pela substância dobrassem.  

“A inflação está subindo, o poder aquisitivo está erodindo, as perspectivas de crescimento estão diminuindo, o desenvolvimento está sendo paralisado e, em alguns casos, os ganhos estão recuando. Muitas economias em desenvolvimento estão se afogando em dívidas, com os rendimentos dos títulos já em alta desde setembro passado, levando agora a um aumento dos prêmios de risco e das pressões cambiais”, ressaltou Guterres, pedindo pelo fim do conflito militar.

Informações de SBT News