Guerra na Ucrânia pode afetar distribuição de alimento no mundo

A persistência da guerra entre Rússia e Ucrânia, iniciada quando tropas de Moscou invadiram o país vizinho em 24 de fevereiro, pode ter consequências negativas para todo o mundo, inclusive na parte alimentar. É o que afirma o relatório divulgado nesta segunda-feira (23) durante o Fórum Econômico Mundial, em Davos (Suíça). O material alerta para o risco de falta de alimento no planeta.

O relatório apresentado em Davos é assinado por economistas-chefes de 24 dos maiores bancos mundiais. Como indício de que os efeitos alimentares da guerra vão além das fronteiras de Ucrânia e Rússia, o Brasil é mencionado como um dos países a serem diretamente afetados pela crise alimentar, que tende a se intensificar por causa do conflito em curso na Europa.

“Como maior produtor mundial de soja, o Brasil importa cerca de metade do fertilizante de potássio da Ucrânia e da Rússia”, informa trecho do documento divulgado neste início de semana. “A China, então, importa a soja do Brasil para alimentar a pecuária, o que pode afetar o preço da carne na China e no mundo”, observa o material, ao demonstrar como se dá a integração de nações no campo do agronegócio.

Diante da guerra, da alta dos preços e da possibilidade de falta de alimentos, o relatório divulgado em meio ao Fórum Econômico Mundial constata que governos têm tomado decisões em comum: impor restrições à exportação. “Em reação à queda da oferta mundial de alimentos, restrições às exportações estão sendo adotadas em nome dos interesses nacionais.”

Informações de SBT News