Homem mata esposa e esconde o corpo por três dias dentro de casa

Um homem foi preso acusado de asfixiar a esposa até a morte do Rio Grande do Sul (RS). A princípio, a visita da polícia tinha o intuito de ouvir o marido de Angélica Aparecida Cidade da Silva, de 46 anos, sobre o desaparecimento dela.

O delegado foi surpreendido por uma confissão espontânea: além de admitir o crime, o homem admitiu ter escondido o corpo da vítima por três dias, dentro da própria casa.

“Assim que nós chegamos aqui no local, ele já confessou que havia matado a Angélica, e que o corpo estaria dentro da residência desde sábado de manhã. Ele matou por asfixia mecânica usando a echarpe que ela estava usando no momento, e deixou o corpo dentro de casa com vários objetos por cima”,

relata a delegada Marcela Longo Ehler.

Conforme indicado pelo agressor, o corpo de Angélica foi encontrado por peritos escondido embaixo de roupas, cobertores e entulhos. O homem, de 42 anos, foi preso em flagrante pelo assassinato.

Aos investigadores, ele alegou ter ‘perdido a cabeça’ durante uma discussão. Segundo os vizinhos, as brigas eram constantes.

“Na sexta-feira, acho que ele roubou 100 reais dela. Acho que ela estava juntando dinheiro para comprar casa, alguma coisa assim, e aí ela queria os 100 reais”,

conta um dos vizinhos, que prefere não ser identificado.

A discussão durou toda a madrugada. “Eu saí para trabalhar. Eu pego ônibus 5:22 e ouvi aquele barulho de sufocar, sabe? Mas, a gente não deu bola porque eles brigavam sempre, e eu não imaginei que ele tivesse feito aquilo com ela”, acrescenta a testemunha.

Angélica era auxiliar de cozinha em um restaurante de Porto Alegre. Colegas estranharam que ela não compareceu ao serviço e procuraram a delegacia da mulher, que começou a investigar o suposto desaparecimento.

Não havia denúncia de violência doméstica contra o suspeito. “Se não tem nenhuma passagem pelo sistema de Justiça, nenhuma medida protetiva, é um caso praticamente invisível para nós, e a gente só toma conhecimento quando o pior acontece”, enfatiza a delegada.

Informações de SBT News