Hospital Pequeno Príncipe explica restrição de atendimento por conta de lotação máxima

O Hospital Pequeno Príncipe informou que o Pronto Atendimento (PA) que recebe pacientes oriundos do Sistema Único de Saúde (SUS) atingiu a capacidade máxima, ou seja, está com 100% de lotação na manhã desta quinta-feira (28).

O atendimento foi retomado a partir das 20h de quinta-feira. Por meio de nota, o hospital explicou que as crianças que vieram encaminhadas pelas UPAS/UBS foram internadas: “Vamos continuar atendendo no Pronto-atendimento do SUS apenas quem vier com o encaminhamento das UPAS/UBS e quem já for paciente ambulatorial do hospital, e esse fluxo é uma própria determinação do SUS”.

Ao todo, o Hospital Pequeno Príncipe possui 384 leitos de internação. No Pronto Atendimento do SUS, são 10 consultórios para atendimento, 6 leitos de observação, 1 leito para isolamento e mais 2 leitos exclusivos para emergências. Portanto, a ocupação de 100% faz referência aos 9 leitos do SUS.

O Pequeno Príncipe reitera que não é uma unidade de busca direta pela população. Como retaguarda para Curitiba e Região Metropolitana, o atendimento de emergência, realizado no Pronto Atendimento, é destinado aos casos de maior gravidade e aos pacientes que necessitam de hospitalização.

Grandes oscilações de temperaturas e a chegada do outono são alguns dos fatores que colaboram para o aumento de doenças respiratórias nesta época do ano. Neste ano, o volume está intenso, o que causa uma procura muito acima da média aos serviços de saúde em Curitiba.

Infecções das vias aéreas superiores, nasofaringite, amigdalite, bronquite aguda, além da tosse estão entre as situações mais recorrentes na emergência da instituição.