Infecção mundial por coronavírus registra aumento de 70%

Junto com o ano novo a população mundial também enfrenta uma nova fase do coronavírus. Entre os dias 27 de dezembro e 2 de janeiro, as infecções pelo vírus aumentaram cerca de 70%, no entanto, a taxa de mortalidade baixou 10%.

Os dados são do boletim epidemiológico semanal da Organização Mundial da Saúde (OMS) e trazem, também, o número de contágios mundiais durante esse período: 9,5 milhões confirmados e 41 mil mortes. Com registros da variante ômicron e mais da metade dos casos e mortes ao redor do mundo, a Europa retornou à posição de epicentro da pandemia com aumento de 65% nos diagnósticos. Enquanto isso, a América registra aumento 100%.

Caso o número de contágios continue crescente na Europa, o continente deve ultrapassar a América, que desde o início da pandemia soma 104 milhões de casos. Na África, região na qual a variante ômicron foi detectada pela primeira vez, as infecções tiveram aumento de 7%, o menor até o momento. As mortes, porém, cresceram 22%.

Ainda conforme o relatório da OMS, mais de 9,3 mil milhões de doses de vacinas contra a covid-19 foram distribuídas no mundo, o que permite a imunização de ao menos 59% da população com pelo menos uma dose.

Desde o seu início, o coronavírus provocou mais de 5,4 milhões de mortes em todo o mundo. No momento, segundo classificação da OMS, existem 5 variantes de preocupação, sendo a ômicron a mais contagiosa.

Apesar do rápido contágio, a ômicron se mostra menos invasiva e maligna que a delta. O diretor-geral da OMS, Tedros Adhanom Ghebreyesus, alertou para o risco de desvalorizar a gravidade da ômicron ao afirmar que “isso não significa que ela possa ser classificada como ligeira”.

Informações de SBT News