Arábia Saudita executa 81 homens em um dia por terrorismo e outras acusações

RIAD (Reuters) – A Arábia Saudita executou 81 homens neste sábado, incluindo sete cidadãos do Iêmen e um sírio, por terrorismo e outras ofensas, incluindo possuir “crenças divergentes”, disseram autoridades, em sua maior execução em massa em décadas.

O número superou as 67 execuções relatadas no reino em todo o ano de 2021 e as 27 em 2020.

“Esses indivíduos, totalizando 81, foram condenados de vários crimes, incluindo assassinato de homens inocentes, mulheres e crianças”, disse o Ministério do Interior em um comunicado.

“Crimes cometidos por esses indivíduos também incluíram declarar lealdade a organizações terroristas estrangeiras, como o Isis (Estado Islâmico), Al-Qaeda e os houthis”, acrescentou.

Alguns viajaram a zonas de conflito para se juntar a “organizações terroristas”, disse o comunicado.

O ministério não disse como as execuções foram realizadas.

Entre os homens, havia 37 cidadãos sauditas que foram declarados culpados em um único caso por tentativa de assassinato contra agentes de segurança e por atacar estações de polícia e comboios, acrescentou o ministério.