Biden acusa governo russo de “genocídio” na Ucrânia

Em pronunciamento na 3ª feira (12.abr), o presidente dos Estados Unidos, Joe Biden, acusou o governo russo de cometer “genocídio” na Ucrânia. Segundo o líder, mais evidência estão surgindo sobre o comportamento das tropas militares, o que mostra um possível desejo de Moscou de apagar a história do país e do povo ucraniano.

“Seu orçamento familiar, sua capacidade para encher um tanque, nada disso deveria depender de se um ditador que declara guerra e comete um genocídio do outro lado do mundo”, declarou Biden, referindo-se ao aumento do preço dos combustíveis e algumas commodities.

O presidente norte-americano disse ainda que os tribunais terão a última palavra para determinar se as ações da Rússia no território ucraniano, que incluem acusações de assassinatos e tortura de civis, constituem genocídio. “Deixe os advogados decidirem se isso se qualifica como tal ou não, mas me parece que sim. As provas se acumulam”, disse.

A fala de Biden acontece em meio a uma série de acusações de Kiev contra Moscou, uma vez que centenas de corpos foram descobertos em cidades antes ocupadas por tropas russas. Muitas das vítimas, segundo relatos, estavam com as mãos amarradas e com ferimentos na nuca, o que indica possíveis execuções.

Além disso, tanto a comunidade internacional como as equipes de segurança locais expressam preocupação com o uso de armas químicas para ataques. Ontem, por exemplo, um grupo de moradores relatou um ataque russo através de um drone que continha substância venenosa. A denúncia chegou ao presidente Volodymyr Zekensky, que informou estar investigando o ocorrido.

Informações SBT News