Elon Musk deve cortar empregos na Tesla

O principal executivo da montadora de veículos elétricos Tesla, Elon Musk, enviou um email para os executivos lamentando que tem um ‘sentimento muito ruim’ sobre a economia e que precisa cortar cerca de 10% dos empregos na empresa. 

Segundo a agência de notícias Reuters, que antecipou a informação com exclusividade, o email enviado na quinta (02), sob o título ‘pause todas as contratações em todo o mundo’, veio dias depois que o bilionário disse por email enviado na quarta (01) aos funcionários para retornar ao local de trabalho ou sair da empresa.

“Todos na Tesla são obrigados a passar um mínimo de 40 horas no escritório por semana”, explica trecho do email enviado no dia 1ª de junho, que é reforçado pela mensagem: “Se você não aparecer, vamos supor que você renunciou”.

Até o final de 2021, a Tesla e suas subsidiárias empregavam quase 100 mil pessoas, segundo relatório informado para a SEC, que é a versão norte-americana da CVM no Brasil.

Após a divulgação deste email sobre o possível corte, as ações da empresa caíram cerca de 3% no pré-mercado nos Estados Unidos na manhã desta sexta (03), e na bolsa de Frankfurt, na Alemanha, caíram 3,6%. Na Nasdaq, os mercados futuros ficaram negativos, passando a ser negociados 0,6% com valor inferior.

Esta foi a mensagem mais direta de alguém de alto perfil da Tesla sobre o congelamento de contratações. 

Apesar da alta demanda por veículos da montadora e dos indicadores de desaceleração não apontarem para um aumento, Musk teme o risco de recessão na economia.

Elon Musk não explicou as razões de seu mau agouro explicitado por email, mas segundo a agência de notícias Reuters, executivos e especialistas apontam que há motivos para preocupação como o aumento da inflação nos Estados Unidos, que bateu o recorde em 40 anos, o aumento do custo de vida e questões inflacionárias que o Federal Reserve tem de resolver para conter a alta dos preços. 

Antes de paralisar as contratações, a Tesla estava anunciando cerca de 5 mil vagas de emprego na rede social profissional LinekdIn. Vagas para vendas no Japão, engenharia na gigafábrica de Berlim ou cientistas de dados eram anunciados.  

Bilionário australiano critica Musk e diz que volta aos escritórios é ‘algo dos anos ‘1950’

Na quinta (02) Musk discutiu no Twitter com o bilionário de tecnologia australiano e cofundador da Altassian (Trello, Jira e Asana), Scott Farquar, que publicou uma série de tuites classificando a decisão do dono da Tesla como ‘algo dos anos 1950’ e incentivou os funcionários da Tesla a analisar seus cargos remotos.

Musk escreveu para o australiano que “As recessões servem a uma função vital de limpeza econômica”.

Com informações do portal SBT News.