Em piora da segunda onda, novos casos diários da Índia passam de 400 mil

Por Sankalp Phartiyal e Alasdair Pal

NOVA DÉLHI (Reuters) – A Índia registrou mais de 400.000 novos casos de Covid-19 pela primeira vez neste sábado, lutando contra uma devastadora segunda onda da pandemia, enquanto a nova campanha de vacinação do país foi prejudicada em algumas regiões pela escassez de doses.

As autoridades registraram 401.993 novos casos nas últimas 24 horas, após dez dias consecutivos de mais de 300.000 casos diários. As mortes pularam para 3.523, levando o total do país a 211.853, segundo o ministério da Saúde.

O surto em infecções sobrecarregou hospitais, necrotérios e crematórios e deixou famílias com dificuldades para encontrar remédios e oxigênio. E embora a Índia seja a maior produtora de vacinas contra Covid-19 do mundo, a falta de doses em alguns estados prejudicou a abertura da vacinação para todos os adultos.

O Estado de Bengala Ocidental não conseguiu começar uma campanha que visava adultos entre 18 e 45 anos por causa da escassez de doses de vacina e pediu que o governo federal fornecesse mais, afirmou uma autoridade estadual sênior de saúde, se recusando a ser identificado porque não foi autorizado a falar com a imprensa.

A escassez de oxigênio tem atormentado o sistema de saúde.

No Hospital Batra, em Nova Délhi, a imprensa local relatou que oito pessoas, incluindo um médico, morreram no sábado após o local ficar sem oxigênio.  

“Délhi precisava de 976 toneladas de oxigênio e ontem apenas 312 toneladas de oxigênio foram fornecidas. Como Délhi respira com tão pouco oxigênio?”, escreve o ministro-chefe Kejriwal no Twitter.  

O governo de Délhi afirmou que estenderá por mais sete dias um lockdown que havia imposto, inicialmente por uma semana, em 19 de abril.

As infecções diárias subiram desde o começo de abril. Alguns especialistas culpam grandes reuniões religiosas e comícios políticos pela severidade da segunda onda da Índia, que pegou o governo despreparado.

Um fórum de conselheiros científicos organizado pelo governo Modi alertou autoridades no começo de março sobre uma nova e mais contagiosa variante do vírus tomando conta do país, disseram cinco cientistas que são parte daquele fórum à Reuters.

Quatro dos cientistas disseram que, apesar do alerta, o governo federal não buscou impor grandes restrições para conter a disseminação do vírus. Milhões de pessoas, a maioria sem máscaras, comparecerem a reuniões religiosas e comícios eleitorais realizados por Modi, líderes do partido governista Bharatiya Janata, e por políticos de oposição.

O surto na Índia acontece no momento em que muitos países estão passando por um alívio da pandemia.

O presidente norte-americano Joe Biden proibiu na sexta-feira a maioria das viagens da Índia, com restrições que entraram em vigor na terça-feira.

Outros países e territórios também impuseram restrições de viagem contra a Índia, como Austrália, Reino Unido, Alemanha, Itália e Cingapura. Canadá, Hong Kong e Nova Zelândia suspenderam todas as viagens comerciais com a Índia.

(Edição Lisandra Paraguassu)