Familiares tentarão reunir bebê encontrado no Afeganistão com pais que estão nos EUA

Por Mica Rosenberg e Jonathan Landay e James Mackenzie

CABUL, Afeganistão (Reuters) – Um bebê que havia sido entregue a um soldado através das grades do aeroporto durante o caos da retirada norte-americana do Afeganistão foi encontrado e reunido aos seus familiares em Cabul no sábado (8).

O bebê, Sohail Ahmadi, tinha apenas dois meses de idade ao desaparecer no dia 19 de agosto, enquanto milhares de pessoas corriam para deixar o Afeganistão, com a queda do governo com a chegada do Taliban ao poder.

Após uma reportagem exclusiva da Reuters publicada em novembro com suas fotos, o bebê foi localizado em Cabul, onde um motorista de táxi de 29 anos chamado Hamid Safi o tinha encontrado no aeroporto e levado para casa para criá-lo como seu filho.

Após mais de sete semanas de negociações e apelos, e finalmente após uma breve detenção pela polícia do Taliban, Safi finalmente devolveu a criança a seu exultante avô e a outros parentes que ainda estão em Cabul.

A família diz que agora tentará reunir a criança com seus pais e irmãos, que conseguiram deixar o país meses atrás e foram para os Estados Unidos.

“Estamos trabalhando para reunificar a família”, disse uma autoridade do Departamento de Estado dos EUA.

Quando isso vai ocorrer, no entanto, ainda é incerto, disse outra autoridade com conhecimento da situação, porque voos regulares de retirada não estão deixando o país. O governo dos EUA está em negociações com representantes do Catar e do Afeganistão sobre o caso, disse a segunda autoridade.

Durante a tumultuada retirada do Afeganistão, Mirza Ali Ahmadi – pai do menino que havia trabalhado como segurança da embaixada norte-americana no país – e sua esposa Suraya temiam que seu filho fosse esmagado na multidão, enquanto se aproximavam dos portões do aeroporto a caminho de um voo para os EUA.

Ahmadi disse à Reuters no início de novembro que em seu desespero entregou Sohail a um soldado uniformizado, que ele acreditava ser americano, esperando reencontrá-lo após a família percorrer os outros 5 metros até a entrada. Naquele momento, as forças do Taliban afastaram a multidão e Ahmadi, sua esposa, e seus outros quatro filhos só conseguiram entrar no aeroporto meia hora depois. Nesse meio tempo, o bebê não foi mais encontrado pela família.

(Reportagem de Mica Rosenberg em Nova York, Jonathan Landay em Washington e James Mackenzie em Cabul)

tagreuters.com2022binary_LYNXMPEI090L4-VIEWIMAGE