Incêndio após explosão de tanque de oxigênio em hospital mata 82 pessoas no Iraque

BAGDÁ (Reuters) – Um incêndio causado pela explosão de um tanque de oxigênio em um hospital que trata pacientes com Covid-19 em Bagdá, no Iraque, matou pelo menos 82 pessoas e obrigou algumas a pularem do prédio em chamas pelas janelas, disseram testemunhas e autoridades neste domingo.

Enquanto as equipes de resgate vasculhavam o prédio carbonizado, o primeiro-ministro Mustafa al-Kadhimi culpou a negligência e suspendeu seu ministro da Saúde, Hassan al-Tamimi. Será realizado um inquérito sobre o incêndio, ocorrido no sábado, no hospital Ibn Khatib.

Cerca de 110 pessoas também ficaram feridas, disse o porta-voz do Ministério do Interior, Khalid al-Muhanna. A maioria dos mortos e feridos eram pacientes.

Já dizimado pela guerra e por sanções econômicas, o sistema de saúde do Iraque tem encontrado dificuldades para lidar com a crise do coronavírus, que matou 15.257 pessoas e infectou mais de 1 milhão.

As forças de segurança isolaram o hospital, que fica na área da ponte Diyala na capital iraquiana, onde destroços carbonizados e vidros estilhaçados se espalharam pelo chão.

Conforme as chamas se espalhavam no sábado, parentes dos pacientes lutavam para salvar seus entes queridos, com alguns conseguindo tirá-los do perigo.

“Levei meu irmão para a rua. Depois voltei e subi até o último andar, que não estava pegando fogo. Encontrei uma menina sufocando, tinha cerca de 19 anos… ela estava prestes a morrer”, disse Ahmed Zaki disse à Reuters.

“Peguei ela nos ombros e desci correndo… Os médicos pulavam em direção aos seus carros. Muita gente pulou. E continuei subindo dali, peguei algumas pessoas e desci de novo.”

(Reportagem de Maher Nazeh)