Nova espécie de dinossauro, uma das maiores do mundo, é descoberta na Austrália

SYDNEY (Reuters) – Cientistas confirmaram a descoberta de uma nova espécie de dinossauro, uma das maiores do mundo, na Austrália, mais de uma década depois de pecuaristas terem encontrados os ossos do animal.

O saurópode herbívoro viveu no período Cretáceo, entre 92 milhões e 96 milhões de anos atrás, quando a Austrália estava anexada à Antártida, de acordo com uma pesquisa publicada na segunda-feira.

Paleontólogos estimaram que o dinossauro alcançava uma altura de 5 a 6,5 metros no quadril e tinha entre 25 e 30 metros de comprimento, o que lhe dava a extensão de uma quadra de basquete e a altura de um prédio de dois andares.

Isto faz da nova espécie o maior dinossauro já encontrado na Austrália e um dos cinco maiores do mundo, parte de um grupo de elite de titanossauros antes só encontrados na América do Sul.

“Descobertas como esta são só a ponta do iceberg”, disse Scott Hocknull, paleontólogo e curador do Museu de Queensland.

Paleontólogos batizaram o saurópode de “Australotitan cooperensis”, combinando “titã do sul” com o nome de um riacho próximo de onde os primeiros ossos da criatura foram encontrados em 2006 em uma fazenda de criação de gado de Eromanga, no Estado de Queensland.

A confirmação da nova espécie marca uma jornada de dezessete anos para primeiramente desencavar e depois comparar os ossos de “Cooper”, como o dinossauro é conhecido mais informalmente, com outras descobertas.

Ossos de dinossauros são enormes, pesados e frágeis e são mantidos em museus de todo o mundo, dificultando estudos científicos.