Secretário de Estado confirma que EUA não querem comprar Groenlândia após proposta de Trump

KANGERLUSSUAQ (Reuters) – O secretário de Estado norte-americano, Antony Blinken, confirmou nesta quinta-feira que os Estados Unidos não têm a intenção de comprar a Groenlândia, após o então presidente Donald Trump propor a aquisição da ilha, provocando uma crise diplomática.

Sentado ao lado do ministro das Relações Exteriores da Dinamarca, Jeppe Kofod, do premiê da Groenlândia, Mute Egede, e do ministro de Relações Exteriores, Pele Broberg, durante uma entrevista coletiva, Blinken confirmou a um jornalista que era “correta” a afirmação de que os Estados Unidos não estão querendo comprar o país.

Blinken visitou a Groenlândia após comparecer a uma reunião do Conselho do Ártico na Islândia, na qual disse que era um sinal da vontade de Washington de aprimorar os laços com “nossos parceiros do Ártico, Groenlândia e Dinamarca”.

Trump e um de seus conselheiros econômicos confirmaram em 2019 que Trump havia discutido a possibilidade de adquirir a Groenlândia, a maior ilha do mundo e um território autônomo da Dinamarca.

A primeira-ministra dinamarquesa, Mette Frederiksen, disparou à época que a Groenlândia não estava à venda e chamou a sugestão de “absurda”.