Ucrânia diz que sete pessoas foram mortas, incluindo uma criança, após Rússia atirar em comboio civil

LVIV, Ucrânia (Reuters) – O serviço de inteligência da Ucrânia acusou a Rússia neste sábado de atirar contra um comboio que estava retirando mulheres e crianças do vilarejo de Peremoha, na região de Kiev, matando sete pessoas, incluindo uma criança.

“Após o ataque, os ocupantes forçaram o restante da coluna a voltar a Peremoha e não estão permitindo que eles saiam da vila”, disse o serviço de inteligência em um comunicado, acrescentando que o total de feridos ainda era desconhecido.

“Russos atiraram contra uma coluna de mulheres e crianças tentando deixar o vilarejo de Peremoha, na região de Kiev em um corredor ‘verde’. Sete pessoas morreram, incluindo uma criança”, disse.

A Reuters não conseguiu verificar o relato em um primeiro momento e a Rússia não teceu comentários imediatamente.

A Ucrânia tem acusado a Rússia de evitar a retirada de pessoas de zonas de conflito ao não respeitar os cessar-fogo que foram acordados e atirando contra alvos civis.

A Rússia nega estar tentando atingir civis desde o começo da invasão em 24 de fevereiro e culpa os ucranianos por repetidos obstáculos nas tentativas de retirar pessoas das regiões mais afetadas, incluindo a cidade portuária de Mariupol, no sul.

O bombardeio russo, que Moscou chama de operação especial, prendeu milhares de pessoas em cidades sitiadas e fez com que 2,5 milhões de ucranianos fugissem para países vizinhos. O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, disse neste sábado que, por causa do conflito, algumas pequenas cidades ucranianas não existem mais.