Ucrânia vai retirar soldados e equipamentos de missões da ONU

GOMA, República Democrática do Congo (Reuters) – A Ucrânia vai repatriar soldados e equipamentos, incluindo helicópteros, envolvidos em missões de paz da Organização das Nações Unidas (ONU) na África e na Europa para reforçar as defesas domésticas diante da invasão da Rússia, disse uma autoridade da ONU.

Tropas russas invadiram a Ucrânia há quase duas semanas, bombardeando e sitiando cidades e vilas e forçando mais de 2 milhões de pessoas, a maioria mulheres e crianças, a fugir.

O presidente ucraniano, Volodymyr Zelenskiy, assinou um decreto na terça-feira convocando todas as forças de paz para ajudar no esforço de guerra em casa, informou a mídia ucraniana.

A Ucrânia contribui com cerca de 300 soldados, policiais e funcionários para seis missões da ONU, um número que provavelmente não alterará drasticamente as operações de manutenção da paz globalmente.

Sua maior contribuição, de longe, para a missão na República Democrática do Congo conhecida como Monusco, compreende oito helicópteros ucranianos e uma unidade de aviação de 250 membros, segundo um porta-voz da Monusco.

“Recebemos uma notificação da Ucrânia sobre a repatriação de seus equipamentos e contribuições para a manutenção da paz”, disse o porta-voz à Reuters, acrescentando que a retirada inclui todas as missões da ONU com envolvimento ucraniano.

“No momento, estamos avaliando o impacto que essa retirada pode ter em nossa missão e como podemos minimizá-lo.”