Morte de princesa Diana completa 25 anos nesta quarta

Há exatos 25 anos, no dia 31 de agosto de 1997, o mundo inteiro se chocava com a morte da princesa Diana, apelidada carinhosamente de Princesa do Povo. O acidente de carro aconteceu no túnel Pont de L’Alma, em Paris, e marcou a história da família real britânica e dos admiradores de Diana. No total, estima-se que 2 milhões de pessoas acompanharam o velório da princesa pela televisão.

Diana era uma tímida professora quando se casou com o príncipe Charles, filho da Rainha Elizabeth II. A entrada na família real, em 1981, foi marcada por um vestido de noiva rendado e com um véu de 7,6 metros. A cerimônia também foi transmitida globalmente e teve mais de 750 milhões de espectadores.

A partir da união, repórteres e fotógrafos passaram a seguir a princesa para capturar todos os momentos da rotina real. Apesar de detestar a invasão, Diana percebeu que a mídia poderia ser utilizada para chamar atenção para causas nobres. Um dos feitos mais notórios foi quando, em 1987, a princesa apertou a mão de um paciente portador de HIV, sem usar luvas. Na época, ainda existia o boato da doença ser transmitida por contato.

Posteriormente, Diana levou a mídia para um campo minado em Angola, na África, para promover o trabalho do grupo Halo Trust, responsável por remover minas de antigas zonas de guerra. Vestida com um colete à prova de balas, a princesa caminhou pelo campo duas vezes, após notar que os fotógrafos não conseguiram registrar o primeiro percurso. A ação ajudou a aumentar a consciência mundial para a questão dos direitos humanos.

Além de construir um legado visando ações humanitárias, Diana também foi considerada um verdadeiro ícone fashion entre as décadas de 1980 e 1990. No início, o estilo da princesa era composto por roupas com estampas florais e cortes mais românticos. Com o passar dos anos, o estilo casual, ao lado de terninhos e blazers, foram tomando espaço no guarda-roupa real.

Um dos modelitos mais comentados foi o chamado “vestido da vingança”, peça preta e com ombros à mostra, que Diana usou após o divórcio com Charles, com quem teve dois filhos: William e Harry. Isso porque, um dia antes, o príncipe confessou, em um entrevista, o envolvimento amoroso com Camilla Parker-Bowles, confirmando os boatos de traição durante o relacionamento do casal.

Em 1992, o autor Andrew Morton lançou o livro “Diana: Sua Verdadeira História – Em Suas Próprias Palavras”, em que a princesa contou como era relacionamento com a família real, confessou a luta contra a bulimia e reconheceu tentativas de suicídio. O texto foi escrito a partir de gravações feitas por Diana que revelaram, além da vulnerabilidade, a força e determinação da princesa.

Informações de SBT News