OIM alerta para um maior risco de tráfico de humanos para pessoas fugindo da Ucrânia

A OIM, Agência da ONU para as Migrações, mostra preocupação com o risco de tráfico de pessoas, assim como de exploração sexual e abuso na Ucrânia e região, à medida que o número de pessoas vulneráveis fugindo da guerra continua a subir. A invasão da Rússia na Ucrânia está durando 22 dias.

Mais de três milhões de pessoas já saíram da Ucrânia, incluindo 162 mil nacionais de países terceiros. A deterioração da situação humanitária e os subsequentes movimentos complexos e em larga escala estão correlacionados com um aumento de ameaças à segurança individual, colocando as pessoas em movimento sob um risco aumentado de exploração. Embora os casos de tráfico de pessoas sejam menos prováveis ​​de serem identificados imediatamente após deslocamentos em massa, relatórios iniciais de dentro e de fora da Ucrânia indicam um potencial para que traficantes explorem as vulnerabilidades daqueles que fogem da guerra. 

Casos de violência sexual já foram relatados, e entre os indivíduos que prometem transporte ou serviços, há indícios de potencial exploração. Indivíduos e membros da comunidade que prestam assistência de transporte e acomodação devem fazê-lo em coordenação com agências de proteção locais e devem facilitar o registro e compartilhar informações de contato, rotas do transporte e locais de acomodação para permitir supervisão e proteção apropriadas. 

“Os relatórios da OIM mostram que as pessoas fugindo da Ucrânia são predominantemente de famílias monoparentais, incluindo mulheres, crianças e idosos – alguns dos quais estão desacompanhados e separados – e nacionais de países terceiros”, diz o Diretor-Geral da OIM, António Vitorino. 

“Esses grupos podem ser especialmente vulneráveis ​​ao risco de tráfico, pois deixam suas casas de forma inesperada e podem ter suas redes familiares habituais e sua segurança financeira seriamente interrompidas”. 

Em 2021, a OIM na Ucrânia identificou e ajudou mais de mil vítimas de tráfico. Em resposta à guerra na Ucrânia, a Organização intensificou seus esforços para estabelecer recursos e intervenções para prevenir o tráfico de pessoas na Ucrânia e entre as pessoas em movimento em toda a região. 

A OIM está colaborando com agências de fronteira e parceiros governamentais para implementar mecanismos de prevenção ao tráfico, como disseminação e inclusão de mensagens de proteção, fornecendo informações verificadas e seguras e aumentando a conscientização a fim de capacitar refugiados e nacionais de países terceiros para tomarem decisões informadas e estarem cientes dos riscos. 

A Organização também reforçou as linhas diretas regionais para equipar as pessoas em movimento com informações importantes sobre segurança e recursos. As agências da OIM na Ucrânia, Romênia e Moldávia desenvolveram materiais virtuais relacionados à migração segura e ao combate ao tráfico, que oferecem às pessoas que fogem da Ucrânia recursos vitais de acomodação, transporte e relatórios de tráfico. 

Incentivamos os Estados a receber as pessoas chegando da Ucrânia de maneira não discriminatória, sensível ao gênero e culturalmente sensível, sem preconceito com base na nacionalidade, etnia ou status da documentação. Ressaltamos a necessidade de uma resposta coletiva em termos de capacitação, coleta apropriada de evidências, orientação técnica e, acima de tudo, assistência direta a todas as vítimas e aqueles vulneráveis ​​à violência, exploração e abuso. 

A OIM também recomenda fortemente que os nacionais de países terceiros recebam proteção e tenham acesso facilitado às suas respectivas autoridades consulares. A Organização está pronta para apoiar os esforços para garantir a proteção e segurança de todos aqueles fugindo da guerra.

As informações são da Organização Internacional para as Imigrações (OIM).