OMS: mundo soma 18 mil casos e cinco mortes de varíola dos macacos

O número de casos de varíola dos macacos continua crescendo no mundo. Segundo balanço da Organização Mundial da Saúde (OMS), divulgado nesta quinta-feira (28), mais de 18 mil casos da doença já foram relatados, sendo a maioria (70%) no continente europeu. Cerca de 10% dos infectados estão hospitalizados e cinco não resistiram ao vírus.

“O surto de varíola dos macacos pode ser interrompido se países, comunidades e indivíduos se informarem, levarem os riscos a sério e tomarem as medidas necessárias para parar a transmissão e proteger grupos vulneráveis. O melhor jeito de fazer isso é diminuindo a exposição”, disse o diretor-geral da entidade, Tedros Adhanom.

Ele destacou que, até o momento, 98% das contaminações são em homens que fazem sexo com homens. A doença, no entanto, pode ser transmitida por meio do contato próximo entre as pessoas do mesmo lar, como em abraços, beijos ou toalhas e roupas de cama contaminadas.  

Apesar do alto alcance geográfico, a OMS ainda não aconselha a imunização em massa, uma vez que a única vacina aprovada é a MVA-BN, disponível apenas no Canadá, União Europeia e nos Estados Unidos. Como as doses seguem escassas, é recomendado a vacinação de grupos prioritários, como profissionais da saúde e pessoas com múltiplos parceiros sexuais.

Informações de SBT News