ONU confirma mais de 4,2 mil civis mortos na guerra da Ucrânia

A Organização das Nações Unidas (ONU) informou, nesta terça-feira (7), que pelo menos 4.253 civis morreram e 5.141 ficaram feridos desde o início da invasão russa na Ucrânia, em 24 de fevereiro. Das vítimas, 272 são crianças e a maioria morreu devido ao uso de explosivos, incluindo projéteis lançados por artilharia pesada e bombardeios aéreos.

Apesar do número, a entidade afirma que a quantidade real de óbitos e feridos pode ser muito maior, uma vez que não há como monitorar as áreas onde os combates estão mais intensos. O cenário envolve, principalmente, as cidades de Mariupol (região de Donetsk), Izium (região de Kharkiv) e Popasna (região de Lugansk).

Todos os casos são repudiados pelo Conselho de Segurança da ONU, já que os ataques contra infraestruturas civis e áreas residenciais são considerados como crimes de guerra. 

Além disso, a entidade estima que cerca de 15 milhões de ucranianos necessitam de assistência humanitária, sendo que mais de 6,9 milhões estão em situação de refúgio em países vizinhos. A movimentação na Europa, classificada como crise, é a maior desde a Segunda Guerra Mundial.Atualmente, os combates militares na Ucrânia se acumulam na cidade de Severodonetsk, localizada na região separatista de Donbass. Mais cedo, o ministro da Defesa russo, Serguei Shoigu, anunciou controle das zonas residenciais, totalizando mais de 70% de domínio do município. Em relação ao país, as forças de Moscou já controlam cerca de 20% do território.

Com informações do portal SBT News.