Operação da PF mira grupo que fraudou mais de R$ 20 milhões do INSS

A Polícia Federal realiza, nesta sexta-feira (23), a operação Raque, que tem como objetivo desarticular uma organização criminosa responsável por fraudes em benefícios sociais. São cumpridos cinco mandados de busca e apreensão e três de prisão temporária nas cidades de Parnaíba (PI), Camocim (CE) e Chaval (CE).

Segundo os agentes, foram identificados 386 benefícios por incapacidade temporária (auxílio-doença) supostamente atrelados à associação criminosa e com fortes indícios de fraude. O prejuízo efetivo ao Instituto Nacional do Seguro Social (INSS), até o momento, é de mais de R$ 20 milhões.

As investigações apontam o envolvimento de dois servidores do INSS, sendo um Médico Perito, que, supostamente em conluio com intermediários, fraudava perícias para a concessão de benefícios de incapacidade temporária. Por determinação judicial, ambos os funcionários foram afastados das funções.

“Os investigados poderão responder pelos crimes de Associação Criminosa, Inserção de Dados Falsos, Falsidade Ideológica e Estelionato Majorado”, disse a PF.