Papa Francisco apoia campanhas de imunização contra a covid-19 e alerta sobre desinformação

Por Philip Pullella

CIDADE DO VATICANO (Reuters) – O papa Francisco condenou nesta segunda-feira (10) a desinformação ideológica “sem base” sobre as vacinas contra a Covid-19, e apoiou campanhas nacionais de imunização, classificando o cuidado com a saúde como uma obrigação moral.

Francisco falou em seu pronunciamento anual ao corpo diplomático acreditado ao Vaticano, discurso chamado de seu “Estado do Mundo” por ser um panorama amplo da situação global.

Seu pronunciamento aos diplomatas de quase 200 países marcou a posição mais próxima do papa até agora ao apoio às medidas de obrigatoriedade da vacina, que se tornaram polêmicas na Itália e em outros países europeus.

“Já entendemos que, nos países em que uma campanha eficiente de vacinação aconteceu, o risco de repercussões graves da doenças caiu”, afirmou o papa.

“Por isso é importante continuar a iniciativa de imunizar a população geral o quanto for possível.”

Francisco, que dedicou cerca de um quinto de seu discurso de seis páginas à pandemia, alertou sobre as declarações ideológicas em relação à vacinação.

“Lamentavelmente, estamos vendo cada vez mais que vivemos em um mundo de divisões ideológicas fortes. Frequentemente, as pessoas se deixam influenciar pela ideologia do momento, muitas vezes alimentadas por informações sem base ou fatos mal documentados”, disse. “Vacinas não são uma forma milagrosa de cura, mas com certeza representam, ao lado de outros tratamentos que precisam ser desenvolvidos, a solução mais razoável para a prevenção da doença.”

(Reportagem de Philip Pullella)