Pequenos negócios geram renda de R$ 420 bilhões por ano, diz Sebrae

Os pequenos negócios são uma das principais forças motoras da economia brasileira. Segundo um levantamento inédito feito pelo Sebrae, apenas com a renda procedente pela atividade de Microempreendedores Individuais (MEI), juntamente com as Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, o segmento gera uma renda mensal para os empreendedores de R$ 35 bilhões, totalizando R$ 420 bilhões por ano.

Entre 2012 e 2021, o número de trabalhadores por conta própria cresceu 26% no país, passando de 20,5 milhões para 25,9 milhões. Já o número de formalizações entre os MEI passou de 2,6 milhões para 11,3 milhões, um aumento de 323%. O cenário aponta para um crescimento de 12 vezes maior entre os MEI se comparado com os donos de negócios que não se formalizaram.

De acordo com o Sebrae, 28% dos MEI já atuavam fora do mercado formal, sendo que suas ocupações principais eram empreendedorismo informal (13%) ou empregado sem carteira (15%), quando decidiram adotar o regime do Microempreendedor Individual. Estima-se que 2,5 milhões de pessoas foram retiradas da informalidade, em 2021 (28% de 8,7 milhões de MEI em atividade), por conta do registro do MEI.

Já em relação às Microempresas e Empresas de Pequeno Porte, 13% dos empreendedores eram informais antes da abertura do negócio, sendo que 6% já exerciam a atividade como empreendedor informal e outros 7% eram empregados sem carteira assinada. Atualmente, os estados do Rio Grande do Sul, Paraná e Santa Catarina apresentam a maior proporção de donos de negócio que estão na atividade há mais de dois anos.

Para o presidente da instituição, Carlos Melles, a força dos pequenos negócios projetou que o Brasil deve alcançar um crescimento sustentável e espontâneo de 3% ao ano, no momento em que a participação das micro e pequenas empresas no Produto Interno Bruto (PIB) chega à proporção de 40% (hoje as MPE respondem por aproximadamente 30% do PIB brasileiro).

“Em países desenvolvidos, a participação dos pequenos negócios no PIB fica em torno de 40% a 50%. Se em 10 anos nós conseguirmos promover esse crescimento, toda a economia sai beneficiada, graças ao poder que as MPE têm de gerar renda e empregos”, avaliou.

Informações de SBT News