Petrobras está há quinze dias sem ninguém na presidência

A entrada de Caio Paes de Andrade na Petrobras continua barrada. Por enquanto, a estatal recebeu apenas parte da documentação. O Comitê de Pessoas só vai analisar o profissional quando receber as informações completas. Ainda assim, a indicação do governo federal pode ser reprovada porque já se espera que entre os papéis esteja o currículo, que analistas políticos acreditam não ser suficiente para a vaga e nem preenche os requisitos da lei das estatais.

Andrade tem formação em Comunicação Social pela Universidade Paulista, pós-graduação em Administração e Gestão pela Harvard University (EUA) e é mestre em Administração de Empresas pela Duke University (EUA).

Em 2019 passou da iniciativa privada para a pública, onde ingressou como presidente do Serviço Federal de Processamento de Dados (Serpro), empresa pública de prestação de serviços de Tecnologia da Informação. E em agosto de 2020 assumiu a Secretaria Especial de Desburocratização, Gestão e Governo Digital do Ministério da Economia, onde é responsável pela plataforma gov.br.

O chamado para a Petrobras ocorre pouco tempo após o atual presidente, José Mauro Coelho Ferreira, ser demitido, apesar de ainda estar oficialamente na companhia. A troca foi defendida por integrantes do alto escalão do governo federal com o argumento de que a cúpula da estatal precisa estar mais alinhada ao novo ministro de Minas e Energia, Adolfo Sachsida.

Além da presidência, o governo federal pretende trocar alguns diretores e ocupantes do Conselho de Administração. Nomes que também não foram definidos ainda. São 11 vagas.

Informações de SBT News