Cadeirinha salva vida de bebê de um ano em acidente no Paraná

A Polícia Rodoviária Federal (PRF) atendeu a um grave acidente ocorrido na manhã desta quinta (21), em Campo Mourão, no noroeste do Paraná. Pai, mãe e um bebê de um ano de idade ocupavam um Corsa, que seguia sentido Campo Mourão a Cascavel.

Em dado momento, o carro teve problema em um dos pneus e o carro capotou. A mãe da criança foi removida via helicóptero para atendimento hospitalar. Graças ao uso correto da cadeirinha, o bebê, uma menina de apenas um ano de vida, nada sofreu.

Em outro acidente, ocorrido em Marialva na noite de quarta (20), uma criança de quatro anos não usava o dispositivo e foi ejetada do carro durante a colisão contra um barranco, seguida de um capotamento. Durante o atendimento do acidente, não foi encontrada a presença da cadeirinha no carro. Tanto a mãe quanto a criança foram ejetados e socorridos em estado grave para hospitais da região. O motorista, que usava o cinto, sofreu lesões leves.

“Esse dispositivo de retenção é obrigatório e imprescindível para a segurança das crianças. Seu uso correto, de acordo com o manual do instruções, deve ser observado na íntegra para não colocar em risco a vida de crianças das mais tenras idades. E não importa se o carro é novo ou antigo. Tendo cinto de segurança e este equipamento estando em condições de uso, é possível ancorar o dispositivo de retenção com segurança”, diz o comunicado da PRF.

Só em 2020, nas rodovias federais paranaenses, a PRF autuou 1.586 motoristas pela falta ou uso em desacordo desse dispositivo de retenção. Em 2021, até o momento, 1.011 multas já foram registradas.

Em 2020, a PRF autuou 10.546 motoristas que não usavam o cinto e 4.792 multas de passageiro sem cinto foram registradas. Em 2021, foram efetuadas 8.375 multas de condutores sem o cinto de segurança e 3.581 para passageiros sem o dispositivo de retenção.