CMTU acumula prejuízo com vandalismo em placas de trânsito

Bons e maus exemplos, não importa. Quando você é figura pública, tudo repercute. Em um vídeo um DJ é filmado arrancando uma placa de proibido parar e estacionar. Fato que obviamente repercutiu. 

O perfil do instagram mostra que o DJ tem mais de 10 mil seguidores e ele se classifica também como design e, vejam só, má influencer. Nossa produção entrou em contato com ele através da mídia social. O DJ disse que não falaria sobre o assunto e propôs a pauta sobre o período em que os profissionais estão parados por conta da pandemia. 

Na avenida Madre Leônia Milito na zona sul de Londrina, uma das mais tradicionais da cidade, a equipe do Tribuna encontrou vários postes sem as placas, o detalhe é que a Prefeitura só no ano passado, gastou mais de 30.000,00 reais com esses problemas de furto e vandalismos.

“A sinalização de trânsito é para trazer mais segurança ao usuário, tanto ele como motorista e motociclista tanto como os próprios pedestres. Quando você ver uma cena dessa retirando a placa que porventura amanhã ou depois pode confundir os motoristas e pedestres que passam pelo local, inclusive causando um acidente, é um dano gravíssimo a ao poder público de uma forma geral e a própria sociedade que vai arcar com esse custo. Cada conjunto de placas envolvendo a placa e o suporte do poste está em torno de 250 reais.” afirmou o Major Sérgio Dalben, diretor de trânsito da CMTU.

O diretor de trânsito da CMTU indica que esse tipo de ocorrência deva ser tratada como furto e não como vandalismo, o que tornaria a pena maior ao infrator.