Delegada aponta que lesões de gêmeas são assaduras, e não abuso sexual

Responsável pela investigação do suposto caso de abuso sexual contra duas irmãs gêmeas de Apucarana, a delegada Luana Lopes disse nesta tarde (23) que o laudo do Instituto Médico Legal (IML) apontou que não houve abuso sexual nas supostas vítimas.

Conforme a delegada, a vermelhidão nas partes íntimas foi provocada por causa de assaduras. “Com a chegada dos peritos do IML ficou constatado que não, que não aconteceram abusos e sim assaduras, não é um descaso da família, nada disso”, explicou. A suspeita aconteceu a partir de uma consulta no Materno Infantil do Hospital da Providência, onde foram constatados indícios de uma possível violência sexual.

Ainda de acordo com a delegada, essa possibilidade foi descartada. “Ouvimos os pais, os policiais militares, e são assaduras mesmo, ao que tudo indica não aconteceu violência sexual mesmo”

As informações são do TNOnline.