Diarista vítima de tentativa de feminicídio pelo ex-marido recebe alta

Ela recebeu facadas nos braços, costelas e teve o pulmão perfurado

Foram 35 anos vivendo ao lado do homem que virou seu pior pesadelo. A conta que essa mulher pagou foi alta: duas facadas no braço, três costelas quebradas e o pulmão perfurado.

A diarista está vivendo na casa de parentes. Ela falou que o casamento com o Ademir de Paula, de 59 anos, sempre foi conturbado. Eles tiveram três filhos, o homem trabalhava com construção civil, mas dependência química sempre esteve presente.

Em 2010, ela registrou três boletins de ocorrência contra o marido por violência doméstica, mas nunca pediu medida protetiva.

“Eu registrava, mas na hora de representar ficava com pena dele. Achava que ele iria melhorar. Tinha os filhos que não queriam ficar sem pai”, disse a vítima.

A prisão do marido em flagrante foi convertida em preventiva. Ele já foi transferido da Delegacia da Mulher. O que chamou a atenção foi o depoimento dele: disse que agiu em legítima defesa. Para a conclusão do inquérito, a polícia pretende ouvir os vizinhos da família. O marido vai responder por feminicídio tentado.

Veja mais informações sobre este caso, assista reportagem completa do Tribuna da Massa Curitiba desta terça-feira (12):