Impressões digitais na casa de professor morto em Curitiba são do namorado, aponta perícia

A Polícia Civil confirmou a identidade do suspeito de matar o professor Onírio Carlos Silvestre, de 59 anos, através de uma perícia papiloscópica no local de morte. As impressões digitais foram encontradas na porta do quarto da vítima. O suspeito foi preso no último dia 22 e confessou o crime.

O corpo de Silvestre foi encontrado no último dia 19 no próprio apartamento em Curitiba. De acordo com a perícia, ele estava morto desde o dia 15 de dezembro.

O suspeito seria o ex-companheiro da vítima, com quem mantinha um relacionamento há três anos. Ele foi preso na quarta-feira (22), em Ponta Grossa.

Investigação

De acordo com as investigações, houve uma briga com motivação econômica antes do crime. Logo após cometer o assassinato, o suspeito furtou cartões de crédito, celular e o carro da vítima, um Ônix vermelho.

Relembre o caso