Justiça afasta conselheiro tutelar investigado por possível pedofilia

Um conselheiro tutelar do município de Mariluz, no Noroeste do estado, foi afastado cautelarmente da função pela Justiça. A decisão atende pedido feito pelo Ministério Público do Paraná, por meio da 2ª Promotoria de Justiça de Goioerê. O homem de 28 anos foi denunciado pelo MPPR pelo crime de estupro de vulnerável praticado em ambiente virtual, por haver tentado, em 2017, seduzir uma menina que tinha 13 anos à época, usando um perfil falso em uma rede social, alegando trabalhar em uma agência de modelos.

Conforme a denúncia, o réu conseguiu fotos íntimas da vítima e então “passou a constrangê-la, por no mínimo 13 vezes, mediante grave ameaça”. Segundo o apurado, ele dizia que enviaria as fotos a pessoas próximas do convívio da vítima e a coagia a enviar outras imagens com conteúdo sexualizado, chegando a sugerir que se encontrassem em um motel. A vítima contou o ocorrido aos pais, que recorreram à polícia e foram orientados sobre como proceder no contato com o réu.

Além disso, também usando nome falso, ele teria tentado agenciar uma criança de cinco anos de idade para prática de atos libidinosos, havendo indícios de reiteração de condutas criminosas ao longo dos anos.

Os processos correm sob sigilo de Justiça.

As informações são do Ministério Público do Paraná.