Laboratório é alvo de operação por suspeita de adulteração em álcool em gel

Uma ação conjunta da Polícia Civil de São José dos Pinhais, Polícia Federal, Polícia Científica e Receita Estadual cumpre mandados de busca, na manhã desta quinta-feira (23), em um laboratório que estaria adulterando álcool em gel e também outros produtos, que estão sendo analisados. Duas pessoas foram presas.

Durante as investigações, a polícia desconfiou que outros materiais também poderiam estar adulterados por não estarem sendo mapeados corretamente. Além disso, os produtos apreendidos no laboratório reprovaram nos testes de análise da Polícia Científica e do Laboratório Central do Paraná (Lacen), por estar abaixo dos critérios exigidos pela Agência Nacional de Vigilância Sanitária (Anvisa).

Na ação, duas pessoas foram presas. Conforme a polícia, tratam-se de um empresário do setor químico e um profissional de biotecnologia. A polícia ainda cumpre mandados na residência dos suspeitos e contra outros funcionários. Não está descartada a participação de outras pessoas.

(Foto: Reprodução)

A Operação Ruptura tem como objetivo verificar possíveis fraudes em licitações e adulterações de produtos, como álcool em gel, praticadas pelos suspeitos. Com relatórios técnicos repassados pelo Tribunal de Contas do Estado do Paraná (TCE-PR), os policiais apuraram que as três empresas investigadas fraudaram procedimentos licitatórios municipais para a aquisição de testes voltados ao diagnóstico de câncer de próstata – produtos para os quais as firmas não possuem autorização de comercialização.

Também com base em dados fornecidos pelo TCE-PR, foi possível apurar que ao menos uma das empresas participa de licitações desde 2013, sempre nas mesmas prefeituras e autarquias. Agora, esses certames deverão ser investigados individualmente, em inquéritos à parte.

A Delegacia de São José dos Pinhais deve divulgar mais detalhes durante uma coletiva de imprensa.