Laudo confirma que técnica de enfermagem foi morta por asfixia

O laudo do Instituto Médico Legal (IML) de Curitiba confirmou que a jovem Letícia Stefani Inácio Raimundo foi morta por asfixia. A técnica de enfermagem foi encontrada morta embaixo da escada do condomínio onde morava, em Pinhais, na região metropolitana de Curitbia. O ex-namorado dela foi preso e confessou a autoria do crime.

O documento assegura que a jovem foi morta por “asfixia mecânica por estrangulamento”. O corpo da vítima foi encontrado no último dia 3; ela estava desaparecida desde a manhã de sábado (2). Um morador do condomínio descia as escadas quando viu marcas de sangue no corrimão e encontrou o corpo de bruços embaixo da escada, no térreo, com sinais de espancamento. Após o pai reconhecer o corpo da filha, a Polícia Militar isolou a área.

Os pais de Letícia afirmaram que ela estava voltando para casa de Uber após trabalhar no plantão do Hospital Universitário Cajuru, e que o aplicativo de transporte marcava sua saída do local às 6h28. O aplicativo enviou a notificação de que a jovem foi entregue no endereço às 6h38, mas a estudante não chegou no apartamento.

Versão do assassino confesso

O ex-namorado da jovem, Pedro Henrique, de 24 anos, confessou a autoria do crime. Durante depoimento para o delegado, ele contou que teve uma discussão com Letícia na sexta-feira (1) e que depois disso, ela saiu para uma festa. Na confraternização, a jovem postou uma foto com os amigos, e segundo Pedro, a publicação foi o motivo do assassinato.

Pedro afirmou ainda que foi até o condomínio de Letícia e a esperou de madrugada. Quando a jovem chegou, o autor do crime disse que ela teria dado um tapa no rosto dele e que para se defender, empurrou a jovem. Com a queda, ela teria batido a cabeça e não resistiu aos ferimentos.

Relembre o caso