Motorista que atropelou capivaras em Apucarana está preso

A Guarda Civil Municipal de Apucarana (GCM) identificou nesta quinta-feira (14) o autor do atropelamento das capivaras na Avenida Jaboti, junto ao Parque Municipal Jaboti. Trata-se de um homem de 27 anos que foi identificado após denúncia anônima. Durante as investigações, os agentes da Guarda descobriram que o criminoso já estava preso desde o dia 8 na 17ª Subdivisão da Polícia Civil do Paraná (17ª SDP), em Apucarana, por tráfico de drogas.

A ocorrência de crime ambiental, ocorrida na madrugada do último dia 5, foi registrada em vídeo por uma pessoa que gravava o grupo de capivaras em meio à pista de rolamento. A imagem do condutor do veículo, literalmente passando por cima dos animais sem ao menos reduzir a velocidade, causou revolta na população e, após viralizar nas redes sociais, ganhou repercussão nacional. Uma capivara morreu e outras ficaram feridas.

Desde o ocorrido, a resolução do caso vinha sendo cobrada pelo prefeito Júnior da Femac. “Conseguimos arregimentar uma força-tarefa. Foi um trabalho árduo que, após 11 dias de diligências, é agora fechado com êxito. Quero agradecer ao trabalho das polícias Civil e Militar, e parabenizar a nossa Guarda Civil Municipal que, com informações recebidas durante as investigações, identificou o veículo (Hyundai Veracruz 3.8V6 2008/2009), que estava escondido na casa de uma irmã do autor, na cidade de Arapongas e, consequentemente, o responsável deste crime ambiental que causou grande indignação”, pontuou Gentil Pereira, secretário Municipal de Meio Ambiente.

O inquérito segue agora sob responsabilidade da polícia e da justiça. “Existe um boletim de ocorrência na Delegacia de Proteção ao Meio Ambiente da Polícia Civil. O autor, que já estava preso por outro crime, agora poderá ter sua pena aumentada em até um ano de reclusão e receber ainda pesada multa ambiental, segundo o artigo 32 da Lei Federal 9.605/1998”, informa Pereira.

O homem identificado como autor do atropelamento tem longa ficha criminal. “É bastante conhecido no meio policial por outros crimes e agora vai responder por esta questão ligada ao meio ambiente”, comunicou o comandante da GCM de Apucarana, Alessandro Pereira Carletti.

O prefeito da cidade também reforça que o Parque Jaboti tem placas de sinalização sobre limite de velocidade (30km/h) e também placas alertando sobre a presença de animais. “É preciso respeitar o meio ambiente e os animais. Não iremos tolerar esse tipo de conduta agressiva no Jaboti e também no Parque Ecológico da Raposa”, frisa.