Mulheres usaram crianças para tentar ‘driblar’ polícia e acabaram presas com quase 50kg de crack

Uma das detidas relatou que receberia R$ 3 mil pelo transporte

Três mulheres foram presas transportando tabletes de crack escondidos dentro de um carro, que saiu da fronteira com o Paraguai e tinha como destino a região de Curitiba, na madrugada desta quinta-feira (8), no bairro Mossunguê. As suspeitas, de acordo com a polícia, usaram duas crianças para despistar uma possível blitz.

De acordo com a Polícia Militar (PM) o veículo Peugeot conduzido por uma das mulheres quase atropelou os policias, que faziam rondas pela BR-277, na Cidade Industrial de Curitiba. As suspeitas foram abordadas e o nervosismo delas levantou ainda mais a suspeita de que estivessem transportando produtos ilícitos.

“Durante a abordagem, foi perguntado às pessoas qual seria o destino. Elas começaram a entrar em contradições, consultamos os nomes das mulheres e descobrimos que elas têm passagens por tráfico de drogas, lavagem de dinheiro e associação criminosa”, disse o tenente Salata da PM.

Duas crianças foram usadas com o intuito de desviar a fiscalização da polícia, caso o veículo passasse por uma blitz. Inclusive, um dos meninos, que estava na cadeirinha, não era filho de nenhuma das mulheres. À Rede Massa, a PM informou que ele foi ‘emprestado’ para colaborar com a prática criminosa.

Ainda segundo a polícia, os ocupantes de um veículo Volkswagen Golf, que acompanhavam o Peugeot, conhecido como ‘batedores’, tentaram resgatar as mulheres presas acompanhados de uma advogada, mas também acabaram detidos, na Central de Flagrantes.

Ao todo, foram apreendidos 48 quilos de crack. Uma das detidas relatou que receberia R$ 3 mil pelo transporte. As três ficaram presas e devem permanecer à disposição da Justiça. As crianças foram encaminhadas ao Conselho Tutelar.