Novas imagens mostram Ana Paula sendo perseguida antes de ser executada

Os policiais que investigam a morte de Ana Paula Campestrini de 39 anos, que foi atingida por 14 disparos enquanto chegava em casa, em Curitiba, divulgaram novas imagens de câmeras de segurança que registraram a vítima sendo perseguida minutos antes do crime. Segundo a Polícia Civil, a mulher havia acabado de deixar um clube, no bairro Cristo Rei, onde havia se encontrado com o ex-marido. O homem e um amigo foram presos suspeitos de cometerem o crime.

A gravação mostra o carro de Ana Paula, um Chevrolet Ônix, deixando o clube por volta das 08h10, na Rua Camões. Em seguida, a mulher ingressa na Avenida Senador Souza Naves e percorrer vários quilômetros até chegar na frente de um condomínio onde morava, no bairro Santa Cândida. Sem desconfiar que estava sendo perseguida por um motociclista, a mulher acabou cercada e assassinada enquanto esperava abrir o portão da garagem.

Presos

Os dois principais suspeitos de praticarem o crime foram presos na manhã desta quinta-feira (24) e foram identificados como Wagner Cardeal Oganauskas, ex-marido de Ana Paula, e Marcos Antônio Ramon. Os indícios levantados pela polícia indicam que Ana Paula pode ter sido vítima de uma emboscada.

(Foto: Reprodução/Rede Massa)

A princípio, Oganauskas teria encomendado a morte da ex-esposa e Ramon teria sido o responsável pela execução, que foi registrada por câmeras de segurança. De acordo com a polícia, uma das possíveis motivações seria a briga pela guarda dos filhos do casal. Ana Paula, inclusive, estaria sendo impedida de ver os filhos, conforme revelou a delegada Tathiana Guzella em participação ao vivo no Tribuna da Massa, da Rede Massa.

“A Ana Paula só via os filhos da rua, ela só conseguia ver eles de longe brincando no clube”, esclarece a autoridade policial. Esse clube ao qual se refere a delegada é onde os filhos do ex-casal praticavam atividades esportivas e recreativas. Há cinco processos na Justiça envolvendo a guarda das crianças, segundo a delegada. O ex-marido de Ana Paula é presidente desse clube, e o suposto atirador é diretor dessa mesma entidade.

(Foto: Reprodução/Facebook)

Presidente afastado de clube

Horas depois da prisão de Wagner Cardeal Oganauskas e Marcos Antônio Ramon, o clube do qual eles fazem parte emitiu uma nota comunicando o afastamento de ambos de suas funções. Oganauskas, ex-marido de Ana Paula, era o presidente da Sociedade Morgenau, enquanto Ramon atuava como diretor. Quem assume interinamente a presidência da Sociedade é Cleomir Luis Stella, atual presidente do Conselho Deliberativo.

A nota emitida pelo clube começa prestando condolências aos amigos e familiares a vítima. “Como primeiro ato, o presidente Cleomir nomeou um Comitê de Emergência para auxiliá-lo no objetivo de lidar com as situações e atividades tão complexas neste momento delicado e sem precedentes”, diz o comunicado.

O documento também expõe que “confia na regular apuração do inquérito vigente e que acredita no legítimo levantamento dos fatos e que ao final a verdade e a justiça prevalecerá”. A nota encerra informando que a Sociedade Morgenau está colaboração com a investigação da Polícia Civil e esclarece que “o clube permanecerá com todas as atividades funcionando de forma plena, visando o bem-estar e a manutenção dos sócios e colabores que dewla dependem para o nosso amado clube”.