Polícia investiga se corpo amarrado e carbonizado é de aposentado desaparecido

A Polícia Civil está apurando se o cadáver, que foi encontrado com as mãos e pés amarrados e com sinais de queimaduras, é do aposentado Ivo Lopes Mueller, de 75 anos. O homem morava sozinho e desapareceu no bairro Parolin, próximo da região em que o corpo foi localizado na manhã desta quarta-feira (2).

Um morador de rua foi quem encontrou o corpo em antigo complexo industrial que se tornou um espaço de eventos culturais, na Aluízio Finzetto esquina com a Constantino Bordignon, no bairro Prado Velho. Por estar em avançado estado de decomposição, não foi possível confirmar a identidade e nem a causa da morte.

Segundo o delegado Marcelo Magalhães, da Delegacia de Furtos e Roubos, os indícios encontrados na cena do crime levantam a possibilidade de se tratar do aposentado, que possuía uma quantia milionária na conta bancária e desapareceu sem deixar pistas. A polícia garante ainda que o corpo estava no local há mais de dois meses.

“Estamos investigando um suposto latrocínio – roubo seguido de morte – que a vítima ainda não foi localizada. Comparecemos aqui pra checar a possibilidade desse corpo ser exatamente da vítima desse crime que estamos apurando. Há indícios que pode se tratar da mesma pessoa. As características e o tempo coincidem com a data do sumiço”, disse em entrevista à Rede Massa.

A identidade da vítima será revelada após exames no Instituto Médico-Legal (IML).

Desaparecimento

O aposentado Ivo Lopes Mueller, de 75 anos, entrou em contato com a família no dia 12 de março e, depois disso, não deu mais notícias. Segundo a polícia, o idoso tinha R$ 3 milhões na conta bancária e não deixou pistas que pudessem desvendar o desaparecimento.

Ivo Lopes Mueller não é visto desde 12 de março

Peritos do Instituto de Criminalística encontraram manchas de sangue e marcas de arrombamento na residência de Ivo, que estava completamente revirada. Notas promissórias e cédulas também foram achadas embaixo da cama.

As investigações apontam ainda que, logo após o sumiço, saques foram realizados em diferentes caixas eletrônicos nos valores de R$ 300 e R$ 600.