Polícia investiga violação em túmulo no Cemitério do Boqueirão em Curitiba

Impressões digitais deixadas no caixão podem ajudar a polícia

Um zelador do Cemitério do Boqueirão, em Curitiba, teve uma surpresa não tão agradável ao chegar para trabalhar, na manhã deste sábado (10). O homem encontrou um túmulo violado com a tampa de um caixão para o lado de fora, apoiada sobre uma gaveta.

(Foto: Colaboração)

A Guarda Municipal foi acionada e peritos do Instituto de Criminalística fizeram coletas pra identificar se houve crime de vilipêndio de cadáver. No local, foi informado que a vítima se tratava de uma idosa e que o suspeito pode ter mantido relações sexuais.

Os papiloscopistas da Polícia Civil também recolheram impressões digitais na tampa do caixão, que podem indicar os possíveis autores.

O caso está sendo investigado.

Outros crimes

No mesmo cemitério, em 2018, o túmulo de um homem identificado como Mizael Teodoro da Luz foi revirado durante a madrugada do dia 6 de março. Conforme a polícia, integrantes de uma facção criminosa foram responsáveis por cometer o vilipêndio como forma de vingança.

Os autores arrastaram o cadáver por cerca de 300 metros. Mizael foi assassinado com tiros de fuzil em um tiroteio no bairro Pilarzinho, em Curitiba, por supostamente ter denunciado um assalto a banco que ocorreu na cidade de Palmeira, no Paraná. Na ocasião, outro rapaz também foi baleado e não resistiu.

Ainda no mesmo ano, outro caso chocou a população. O corpo da pequena Valentina de Fátima Vieira, de apenas 1 ano, enterrado menos de 24 horas antes, foi roubado por possíveis homens que foram flagrados deixando o local por volta das 8h50 do dia 26 de junho. Quase três anos depois, o caso continua sem respostas.

À época, a mãe da garotinha relatou que a morte ocorreu por conta de uma pneumonia, já que a menina apresentava sintomas de gripe com as mesmas características de H1N1. Valentina foi atendida na Unidade de Pronto Atendimento (UPA) do Boqueirão.